Pular para o conteúdo principal

TODO VERGONHOSO TIMÃO

Resultado de imagem para timão meme
São Paulo – O Corinthians pisou no gramado do Mineirão na tarde de domingo, 11, fora da Copa Libertadores de 2016 e assim saiu do estádio. O Timão precisava ganhar do Cruzeiro e torcer por um tropeço do Atlético-PR ou do Botafogo na última rodada do Brasileirão, mas levou a virada no segundo tempo e perdeu por 3 a 2. 


Campeão nacional no ano passado, o clube perde prestígio e aproximadamente R$ 10 milhões em renda com a Libertadores. Com 55 pontos, na sétima posição, o Corinthians disputará a Copa Sul-Americana em 2017. Com 51 pontos, em 12º, o Cruzeiro também estará no torneio, depois de flertar com o rebaixamento. 


Desde o começo, o time comandado por Oswaldo de Oliveira mostrou falhas na marcação. Aos cinco minutos, o meia Arrascaeta fez gol de cabeça, mas o juiz deu impedimento. Estava na mesma linha, mas não houve reclamação.
Embora estivesse melhor, o Cruzeiro sofreu o primeiro gol. Em escanteio, o atacante Guilherme empurrou a bola para dentro e colocou o Corinthians na zona de classificação para a Libertadores, aos sete. Aos 23, no entanto, Arrascaeta empatou após boa jogada de Robinho.
O começo do segundo tempo foi quase uma cópia dos minutos iniciais da disputa. O Corinthians voltou mais envolvente, com boa trama pelo lado direito e gol aos nove minutos de Marlone, de cabeça. Mas não ficou por muito tempo à frente. 

Aos 11, Ezequiel colocou os dono da casa na frente, em novo passe de Robinho. O meia, que veio do Palmeiras, ainda fez o terceiro aos 13, para selar o resultado que tirou o Corinthians da Libertadores em 2017.

Em Belo Horizonte
CRUZEIRO 3
Rafael, Ezequiel, Léo, Manoel e Edimar; Henrique, Ariel Cabral, De Arrascaeta (Willian), Robinho e Alisson (Rafinha); Rafael Sóbis (Marcos Vinícius). Técnico: Mano Menezes

CORINTHIANS 2
Walter, Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel (Léo Jabá); Cristian, Camacho (Arana) e Rodriguinho: Marlone, Romero (Giovanni Augusto) e Guilherme. Técnico: Oswaldo de Oliveira
GOLS: Guilherme, aos 7, e Arrascaeta, aos 23 do 1º tempo; Marlone, aos 9, Ezequiel, aos 11, e Robinho, aos 13 do 2º tempo

Árbitro: Wagner Reway (MT)
LOCAL: Estádio Mineirão
Robson Morelli
Agência Estado

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.