Pular para o conteúdo principal

#ForçaChape: Arena Condá despede-se dos guerreiros

Em verde e branco, encharcada por lágrimas e pela forte chuva que insistiu em cair sobre Chapecó, na manhã/tarde deste sábado, dia 3 de dezembro, a Arena Condá viveu o capítulo mais triste de sua história. A cerimônia de despedida às vítimas da tragédia com o avião da Chapecoense emocionou o universo do futebol e o povo brasileiro, mas também deixou mensagens de esperança e apoio aos familiares e amigos dos mortos. 


 O velório ecumênico foi repleto de homenagens e reuniu milhares de torcedores da Chapecoense e autoridades do futebol brasileiro e mundial, como o Presidente da FIFA, Gianni Infantino; o Presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez; e o Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Marco Polo Del Nero, além de ex-jogadores, dirigentes desportivos de todo o país e o técnico da Seleção Brasileira, Tite. 

 O treinador da Canarinho deixou o estádio enrolado em uma bandeira da Chapecoense, e foi completamente ovacionado pelas arquibancadas. Aos jornalistas, Tite lembrou do abraço emocionado que Dona Ilaíde, mãe do goleiro Danilo, deu no repórter Guido Nunes, do SporTV, momento que ficou marcado como um dos mais emocionantes da semana. 

 Sob as tendas localizadas no gramado, os familiares das vítimas tiveram, enfim, o primeiro contato com os seus entes, o início da dolorosa despedida. Vestindo a camisa do Atlético Nacional de Medellin, o prefeito da cidade de Chapecó, Luciano Buligon, fez um agradecimento emocionado ao povo colombiano e ao clube que seria o adversário da Chapecoense na final da Sul-Americana 2016. Luciano disse que os guerreiros da Chapecoense tornaram-se lendas. 

O Presidente Michel Temer também esteve presente na cerimônia. Jogadores como Neymar, Marcelo Moreno, Osvaldo (Fluminense), Leandro (Coritiba), Edilson e Everton (Grêmio), e ex-atletas como Juninho Pernambucano e Roberto Dinamite não puderam comparecer à Arena Condá, mas mandaram vídeos com mensagens de apoio, que foram reproduzidos no telão do estádio. – Meus sentimentos são por todas as famílias e por todos os guerreiros que se foram. Estamos juntos, e que Deus nos abençoe e nos console sempre. Força, Chape! – declarou Neymar, direto de Barcelona (ESP). Uma mensagem de condolência enviada pelo Papa Francisco foi lida aos presentes, assim como o nome de todas as vítimas, sob muitos aplausos e gritos de "É campeão". 


Familiares carregaram fotos das vítimas pelo gramado, numa caminhada de emoção, gratidão e saudade. – Consternado pela trágica notícia do acidente aéreo na Colômbia, que causou numerosas vítimas do Brasil, o Papa Francisco pede que seja transmitida suas condolências e sua participação na dor de todos os enlutados. 

Ao mesmo tempo que encomenda Deus, pai da misericórdia, o Santo Padre pede ao céu conforto e restabelecimento pelos sobreviventes, coragem e a consolação da esperança cristã a todos os atingidos pela tragédia. E envia a todos que estão em sofrimento uma propiciadora bênção apostólica – dizia a mensagem do pontífice. A CBF deseja aos familiares muita força neste momento de tristeza e despedida. #ForçaChape

PUBLICADO NA HOME PAGE DA CBF

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.