Pular para o conteúdo principal

Cásper Líbero, uma verdadeira revolução na imprensa

Acervo/Gazeta Press

Espírito dinâmico e inovação. Essas foram as características que marcaram o jornalista Cásper Líbero, o criador de um grupo de comunicação pioneiro e arrojado no país. Natural de Bragança Paulista, Interior de São Paulo, onde nasceu a 2 de março de 1889, Cásper estudou na tradicional Faculdade de Direito do Largo São Francisco, tendo se formado na turma de 1909. 

Mas não foi como advogado e, sim, por dedicar sua vida ao jornalismo que ele se tornou célebre. Logo após a sua formatura, Cásper em parceria com Olegário Mariano, Raul Pederneiras, Luiz Peixoto e J. Carlos fundou o jornal “Última Hora”, em 1911. Dois anos depois, inaugurou a primeira agência de notícias brasileira, a Agência Americana. 


Em seguida, ingressou na redação de “O Estado de S. Paulo”, tornando-se diretor da sucursal do jornal paulista no Rio de Janeiro, então Capital Federal. O jornalista também ocupou cargos públicos, sendo procurador da Fazenda Nacional, em Mato Grosso. A experiência, no entanto, durou pouco tempo. Ele acabou abrindo mão do posto para assumir, em 1918, A Gazeta, que se tornou um dos mais importantes e respeitados órgãos de imprensa de São Paulo em sua época. Com ousada visão editorial e de marketing, Cásper criou no vespertino uma série de cadernos especializados. 

O suplemento A Gazeta Esportiva nasceu em 1928, como semanário. O sucesso foi tanto que, a partir de 1947, tornou-se independente e passou a ser um jornal de circulação diária. Nesse mesmo período, foram instalados alto-falantes na sede do periódico para que a população pudesse acompanhar as transmissões de jogos de futebol. O Vale do Anhangabaú virou uma verdadeira rádio popular. Lançou ainda A Gazeta Infantil, a primeira publicação jornalística destinada às crianças, A Gazeta Juvenil, A Gazeta Magazine (um caderno literário-cultural, que contou com a colaboração de consagrados escritores do Brasil) e A Gazeta Esportiva Ilustrada, que circulou de 1953 a 1967. A Gazeta saiu na frente, mais uma vez, quando em 1930, importou uma rotogravura e entrou para a história como o primeiro jornal brasileiro a ser impresso em cores. 

Do exílio às novas realizações 

Durante a Revolução Constitucionalista de 32, Cásper Líbero participou ativamente do movimento. A Gazeta foi invadida e destruída por simpatizantes de Getúlio Vargas e, ao jornalista, restou o exílio. Cásper viajou primeiro para os Estados Unidos e, em seguida, para a França, onde passou cerca de dois anos. Somente em 1934, Cásper retornou ao Brasil e foi indenizado pelo Estado por causa dos danos sofridos pelos ataques à redação. Com o dinheiro, ele construiu, em 1939, o Palácio da Imprensa, o qual abrigou a redação do jornal, arquivo, parque gráfico, administração e um auditório. Em dia com as novas tecnologias, ele inaugurou em março de 43, a Rádio Gazeta, sendo um dos pioneiros no país a lidar com a mídia eletrônica. 

 Um apaixonado pelo esporte, Cásper atuou na direção de A Gazeta Esportiva, promovendo eventos esportivos importantes, como a “Prova Ciclística 9 de Julho” e a “Corrida de São Silvestre”, uma das competições de pedestres mais famosas do mundo. Outras provas também fizeram sucesso, como a Travessia de São Paulo a Nado, disputada no rio Tietê, o torneio de futebol de várzea Cidade de São Paulo e os Jogos Universitários Brasileiros. Na manhã do dia 27 de agosto de 1943, Cásper morreu, aos 54 anos, em um acidente aéreo. O avião da Vasp tentava aterrissar no aeroporto Santos Dumont sob densa cerração, mas se chocou com uma torre da Escola Naval. Após sua morte, o jornalista legou a São Paulo a Fundação Casper Libero, englobando o jornal, rádio e TV Gazeta, fundada em 1970. 

Mais recentemente, a instituição passou a integrar a rede da Internet. Em seu testamento, Cásper determinou a criação de uma escola de jornalismo, a Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, a primeira da América Latina a formar profissionais na área com a experiência adquirida pelo mestre da Comunicação.

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.