Pular para o conteúdo principal

VIDEO :HISTÓRIA EM JOGO – Copa-66 – Brasil 1 x 3 Hungria

Resultado de imagem para HUNGARY - BRAZIL 3-1 * 1966 July 15th * Magyarország - Brazília VB Anglia*Fifa World Cup England

PRÉ JOGO – Vicente Feola mudou dois jogadores para a segunda partida do Brasil em Liverpool, em Goodison Park, estádio do Everton, depois da estreia com vitória sobre a Bulgária por 2 a 0. Preferiu poupar Pelé, que não estava 100% com o joelho direito, e apostou no cruzeirense Tostão, de apenas 19 anos, como meia-atacante; no meio-campo, Gerson toma o lugar de Denilson. Brasil, na teoria, mais leve e também mais técnico, e um pouco menos marcador contra a Hungria, que na partida inaugural perdeu para Portugal por 3 a 1. Portugueses e brasileiros lideram com dois pontos o grupo (duas seleções se classificam). A Hungria só pode pensar em atacar. Empate pode ser ótimo para o Brasil.
Djalma Santos é o único remanescente em campo do Brasil derrotado pela Hungria oito anos antes, na Copa de 1954, na Suíça. A última derrota brasileira em Copas.
VIDEO



por Mauro Beting em 22.jul.2015 às 13:58h

Mauro Beting,  Neto, filho, sobrinho, primo, e irmão de jornalistas, Mauro Beting está na imprensa por esporte desde 1990. Fez curso de arbitragem para aprender a ser xingado, fez curso de treinador para aprender a ser chamado de burro, e tenta não ser clubista, bairrista e achista no meio mais passional, parcial e subjetivo que existe. Comenta futebol nos Canais Fox Sports, Rádio Jovem Pan, e no PES 2016; apresenta futebol no Fox Sports; escreve futebol duas vezes por semana no LANCE!. Escreveu 15 livros. Dirige e roteiriza documentários futebolísticos para TV e cinema. Curador do Museu da CBF e um dos curadores do Museu Pelé. Neste BLOG DO MAURO quer blagues (comentários com humor). Nesta vida quer futebol.
blog mais memoria net
Brasil na segunda partida em 1966: Bellini (São Paulo), Gilmar (Santos), Altair (Fluminense), Djalma Santos (Palmeiras), Lima (Santos), Garrincha (Corinthians), Jairzinho (Botafogo), Tostão (Cruzeiro), Paulo Henrique (Flamengo), Alcindo (Grêmio) e Gerson (Botafogo). O time de Vicente Feola que perdeu por 3 a 1 para a Hungria. Com o amarelo e o azul tão esmaecidos como o time tão mal preparado fisicamente em 1966. 
Resultado de imagem para ALCINDO COPA 1966
NA ESTRÉIA DA COPA, ALCINDO FOI O PRIMEIRO JOGADOR QUE NÃO ATUAVA OU EM SÃO PAULO OU NO RIO QUE ATUOU PELO BRASIL EM UMA PARTIDA DE COPA. BAIRRISMO AINDA IMPERAVA
albumdosesportes

Resultado de imagem para LANCE!


Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.