Pular para o conteúdo principal

UOL F1 : Massa torce por "corrida maluca" para evitar despedida triste de Interlagos

Resultado de imagem para FELIPE MASSA
Felipe Massa pode ter começado a imaginar antes o roteiro ideal para seu último Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1. Neste sábado (12), porém, foi obrigado a adicionar alguns elementos à imagem de uma corrida perfeita para o próximo domingo (13), em Interlagos. Em sua temporada derradeira na principal categoria do automobilismo global, o piloto vai largar em 13º, pior posição da carreira em uma prova disputada em São Paulo, e agora torce por uma "corrida maluca" para evitar uma frustração. 

 "Minha torcida é", disse Massa em entrevista coletiva. "Na corrida, com o tanque cheio, tudo muda. Espero que o que aconteceu hoje [sábado] não se repita, mas não é uma corrida fácil que a gente vai ter pela frente. O melhor seria chuva. O que vier pode vir para ajudar. Tomara que alguma coisa aconteça para trazer uma boa prova amanhã [domingo]", completou. No treino oficial, Massa fez apenas 1min12s521. Com esse tempo, não obteve sequer classificação para o Q3, que reúne os pilotos com as dez melhores parciais. 

O brasileiro já havia saído cabisbaixo do carro e já havia deixado evidente o tamanho da frustração. "Esperava ter entrado com tranquilidade no Q3. Estava me sentindo bem com o carro. O pneu dianteiro acabou tendo uma mudança tão grande que acabou saindo de frente na curva 1, na 2 e na 4. Mudou completamente o balanço do carro. Acho que eu fui o único que não melhorou depois da primeira saída, que não conseguiu melhorar o tempo. Foi muito estranho o que aconteceu hoje", ponderou Massa. "Tem alguma coisa relativa a temperatura ou pista. De uma hora para outra, mudou completamente. 

Os dois carros não conseguiram passar do Q3", adicionou. Valterri Bottas, companheiro do brasileiro na Williams, fez 1min12s420 e ficou com a 11ª posição. "Foi uma pena porque eu estava me sentindo bem. Ainda mais depois da primeira saída. Totalmente confiante para fazer uma boa classificação. Mas tudo mudou para o lado negativo, e eu fico triste porque a chance de largar entre os oito primeiros era grande hoje", disse Massa, que admitiu um teor emocional sobre o GP: "[O coração está] batendo forte, sentindo a emoção e o carinho da torcida. Lógico que não é fácil se despedir. 

É uma sensação fenomenal estar correndo no Brasil, sentindo o carinho de sua torcida. Sem dúvida eu vou sentir falta".
Resultado de imagem para UOL

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.