Conheça os três jogadores da Chapecoense que sobreviveram ao acidente

Resultado de imagem para gazeta do jogadores chapecoense hospital
Dos 22 jogadores da Chapecoense que estavam a bordo do avião que caiu próximo a Medelín, três sobreviveram: o lateral-esquerdo Alan Ruschel, o zagueiro Neto e o goleiro Jackson Follmann. Outras duas pessoas sobreviveram ao acidente. O goleiro Danilo, que havia sido resgatado com vida dos destroços, foi confirmado posteriormente como uma das vítimas fatais da tragédia. Alan Ruschel


Guillermo Ossa/De acordo com a rádio Caracol, da Colômbia, Alan Ruschel teve uma fratura na coluna e lesões múltiplas, além de um corte superficial na cabeça. Ele ainda passa por cirurgia e o quadro de saúde dele é estável. Segundo o médico socorrista do Hospital San Juan, corre o risco de ficar paraplégico. 


 Ruschel começou a carreira nas categorias de base do Juventude, mas não teve muitas oportunidades na equipe. De lá foi emprestado para o Pelotas e para a Luverdense. Em 2012 retornou ao Juventude, sendo um dos destaques da equipe. Em 2013, o jogador foi contratado pela Chapecoense, mas jogou pouco e se transferiu para o Interancional em 2014. Em 2015 foi emprestado para o Atlético, mas na segunda partida pelo clube teve uma lesão e retornou ao Inter. De lá foi novamente para a Chapecoense. 

 Jackson Follmann O diretor médico do Hospital San Vicente Fundação Rionegro, Ferney Rodríguez, disse à rádio Caracol que o goleiro teve múltiplas lesões e médicos estão avaliando a situação dele. Teve a perna amputada. Goleiro reserva da Chape, Follmann é cria da base do Grêmio. Antes de chegar ao time catarinense, passou pelo Juventude e Linense-SP. 

Neste ano, ele estava no URT-MG, onde foi campeão do interior do Campeonato Mineiro. Em maio foi contratado pela Chapecoense. Neto /Segundo o diretor do Hospital San Juan Dios, o zagueiro tem fraturas no crânio e está em estado crítico. Ele foi o último sobrevivente a ser resgatado após o acidente na Colômbia.  

Ele iniciou a carreira no Vasco e a partir de 2006 passou pelo futebol paranaense. Primeiro defendeu o Paraná e depois se transferiu para o Francisco Beltrão e para o Cianorte. Em 2009 foi para o Guarani e acabou emprestado para o Metropolitano-SC. Em 2013 foi contratado pelo Santos, onde jogou 40 partidas. Está na Chapecoense desde 2015.
Resultado de imagem para gazeta do povo

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"