Por 'merreca', time perdeu Zidane, Ronaldo, Djalminha e Marcelinho

Resultado de imagem para ronaldo e zidane
Eu já publiquei nesse blog , essa história - Imagine a seguinte linha de passe: Marcelinho Carioca para Djalminha, Djalminha para Zidane, Zidane para Ronaldo e Ronaldo para o gol. Ela quase existiu, quase foi real. Mas, por apenas R$ 1,1 milhão, uma "mixaria" no futebol, ficou só na imaginação... Esse dream team seria o do Cannes, da França, se a pequena equipe alvirrubra não estivesse em contenção de despesas na hora de fechar o que seriam alguns dos maiores negócios da história, no início dos anos 90. Um verdadeiro "time de cinema". 

 Quem conta a história é Franck Henouda, agente Fifa franco-argelino radicado no Brasil e homem que já viu de tudo quando o assunto é mercado da bola.

Para saber como tudo aconteceu, é preciso entrar no DeLorean e voltar 23 anos no tempo.

Da boate ao futebol
Sorridente e bom de papo, Henouda entrou de maneira diferente no mundo do futebol. Ele trabalhava como responsável pela parte de esportes em uma grande rede de hotéis, e morou em 23 países, fazendo amizades poderosas por todo o globo. Durante seu tempo em Paris, por exemplo, ficou amigo de craques como o uruguaio Enzo Francescoli (do Racing) e o francês Luis Fernández (do PSG). 
No início dos anos 90, porém, um amigo o chamou para trabalhar no Brasil, e o franco-argelino foi ser sócio em um restaurante em Búzios, no Rio de Janeiro. Passava cinco meses no Brasil e depois se mandava para a Europa para aproveitar o verão de lá também. Mas tudo mudou no dia em que um craque da seleção brasileira cruzou seu caminho.
"Um dia, apareceu lá o Jairzinho, 'furacão' da Copa de 70, que teve uma grande atuação no Olympique de Marselha. Ele viu uns retratos meus na parede com alguns jogadores, entre eles o Fernández, e perguntou se eu o conhecia. Eu disse que era meu amigo e que hoje comandava o Cannes, na França, em início de carreira de treinador. O Jair perguntou, então, se podia mandar para ele três fitas de jogadores no período do final da temporada europeia", conta Henouda, em entrevista à Rádio ESPN.
Passado o carnaval, o empresário foi para Cannes. Entrou na sala do treinador do pequeno clube da cidade, que possuia um tal Zinedine Zidane como destaque das categorias de base, e lhe deu as três fitas confiadas por Jairzinho. Eram filmagens amadoras, mas que mostravam dois meias de 18 anos e um atacante de 15 anos, boas promessas do futebol brasileiro.
Luis Fernández, campeão da Eurocopa e com duas Copas do Mundo no currículo, parceiro de craques como Platini, Giresse e Tigana, quase caiu da cadeira.
O time que ficou nos sonhos
"O Luis adorou os jogadores. Foi correndo mostrar para o presidente e disse que queria contratar os três. Sabe quem eram? Djalminha, que estava saindo do Flamengo e indo ao Guarani, Marcelinho Carioca, que estava insatisfeito, e Ronaldo 'Fenômeno', que estava surgindo no São Cristóvão!", revelou Henouda.
Resultado de imagem para espn

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"