Pular para o conteúdo principal

Náutico faz 2 a 1 no líder Atlético-GO e volta ao G4 da Série B

Resultado de imagem para nautico
O Náutico, enfim, voltou ao G4 do Campeonato Brasileiro Série B, grupo de acesso à primeira divisão nacional. O feito aconteceu em função da vitória por 2 a 1 sobre o líder Atlético-GO, na noite desta sexta-feira, na Arena Pernambuco, pela 33ª rodada da competição.
Diante de mais de 15 mil torcedores, o atacante Rony foi o destaque do confronto ao marcar os dois gols no triunfo do Timbu. Ambos foram feitos no início do segundo tempo e premiaram a melhor atuação da equipe pernambucana, que buscou agredir a agremiação de Goiânia durante a maior parte do duelo. Magno Cruz, aos 45 da segunda etapa, diminuiu para os visitantes.
Com o resultado, o Náutico assume a quarta colocação, com 54 pontos, ultrapassando o Londrina, que empatara em 1 a 1 com o Criciúma. O Atlético-GO, por sua vez, permanece na liderança, com 61 pontos, três a mais que o segundo colocado Vasco.
O Alvirrubro pernambucano tentará se manter no grupo de acesso à Série A contra o CRB, no próximo sábado, às 17h30 (de Brasília), em Alagoas. Meia hora antes, o Dragão buscará a reabilitação no clássico contra o Goiás, no estádio Serra Dourada, onde atuará como mandante.
O jogo – Antes de o relógio marcar o primeiro minuto de partida, o Náutico quase abriu o placar. Após um corte errado de Romário, o atacante Bergson ficou com a sobra, avançou e arriscou de fora da área. A bola explodiu na trave do goleiro Kléver.
Empurrado por sua torcida que compareceu em bom número na arena, o Timbu continuou exercendo pressão no Atlético-GO. Ainda antes dos 10 minutos, Rony por pouco não marcou o primeiro gol do jogo em dois chutes perigosos.
O duelo permaneceu elétrico no primeiro terço da etapa inicial. Aos 14, a zaga do Náutico falhou infantilmente e Michel ficou com a bola, livre de marcação. O volante invadiu a área, ficou cara a cara com Júlio César, mas bateu fraco, facilitando a defesa do goleiro. Aos 21 minutos, a resposta do time da casa: após cobrança de escanteio, o zagueiro Rafael Pereira subiu de cabeça e tirou tinta da trave do Dragão.
A partir disso a estratégia das duas equipes ficou bem clara: o Náutico usou a posse de bola para ocupar o campo de defesa do Atlético-GO, que não sofreu grandes riscos graças à sua organização e apostou nos contra-ataques. Em um deles, no último lance do primeiro tempo, Júnior Viçosa se esticou todo para alcançar cruzamente pela esquerda de Gilsinho, mas finalizou na rede pelo lado de fora, assustando a torcida pernambucana.
Para o início da segunda etapa, o Náutico adotou a mesma postura agressiva em relação à primeira. E deu certo. Após cobrança de escanteio de Vinícius, ainda antes dos dois minutos, a bola sofreu desvio no meio da área e sobrou para Rony bater forte de primeira, no canto esquerdo do gol do Atlético-GO e sem chances para Kléver.
Apesar de estar à frente no marcador, o time pernambucano não se acomodou e buscou o segundo gol. Em uma falha infantil do lateral Romário e do goleiro Kléver, Rony mostrou oportunismo e aproveitou o vacilo para chutar cruzado e ampliar o placar.
Com ampla vantagem no placar, a postura do Náutico naturalmente foi modificada, tentando surpreender nos contra-ataques, já que o Dragão passou a se lançar à frente sem maiores cuidados. A tática do abafa funcionou, mas foi tarde demais. Aos 45, após boa tabela na área do Alvirrubro, Lucas Crispim, que havia acabado de entrar, tocou na saída de Júlio César para diminuir.
Bastou ao Náutico se segurar nos quatro minutos finais para decretar a vitória, que veio de modo dramático no final.
FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 2 X 1 ATLÉTICO-GO
Local: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)
Data: 28 de outubro de 2016 (sexta-feira)
Horário: 21h30(de Brasília)
Árbitro: Celio Amorim (SC)
Assistentes: Thiago Americano Labes e Eder Alexandre (ambos de SC)
Público: 15.319 pagantes
Renda: R$ 275.095,00
Cartões Amarelos: 
João Ananias, Rodrigo Souza, Vinícius e Gastón Filgueira (Náutico); Michel, Pedro Bambu, Gilsinho, Marllon e Jorginho (Atlético-GO);
Cartões Vermelhos:-
Gols:
NÁUTICO: 
Rony, aos dois e aos 14 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-GO: Magno Cruz, aos 45 minutos do segundo tempo
NÁUTICO:Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Igor Rabello e Gastón Filgueira; João Ananias, Rodrigo Souza (Negretti), Marco Antônio e Vinícius (Renan Oliveira); Rony e Bergson (Tiago Adan)
Técnico: Givanildo Oliveira

ATLÉTICO-GO: Kléver; Matheus Ribeiro, Marllon, Ricardo Silva e Romário; Michel, Pedro Bambu (Luiz Fernando), Magno Cruz, Jorginho e Gilsinho (Alison); Júnior Viçosa (Lucas Crispim)
Técnico: Marcelo Cabo

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol e a salsicha

Dia destes numa fila qualquer ouví um dizer: "Perdí as esperanças no futebol depois da final da Copa da França em 1998. 
 Logo pensei : 

" Se Imaginássemos como são feitos o futebol e a salsicha jamais consumiriamos essas "guloseimas"

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

07/08/2016 22:05 A seleção brasileira masculina de hóquei sobre grama disputou o seu segundo compromisso no torneio dos Jogos Olímpicos Rio 2016 neste domingo, 8 de agosto, no Centro Olímpico de Hóquei, no Complexo de Deodoro. Ao enfrentar a forte Bélgica, a seleção brasileira foi derrotada pelo placar de 12 a 0. O Brasil passou a somar duas derrotas em duas partidas, já que perdeu na estreia para a Espanha por 5 a 0. Na próxima rodada, terça-feira, 9 de agosto, os brasileiros voltam a campo para encarar a Grã-Bretanha. Encarando um time muito competitivo, os atletas brasileiros conseguiram manter o jogo equilibrado até o fim do primeiro quarto – de um total de quatro quartos, de 15 minutos cada –, quando a Bélgica marcou seus dois primeiros gols. A partir daí, a equipe brasileira sucumbiu à superioridade belga, ameaçando o gol adversário apenas em lances esporádicos. Com o domínio absoluto da partida, a Bélgica foi ampliando até chegar ao placar final de 12 a 0. "Pela primeira vez …

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)