Pular para o conteúdo principal

mulheres na Fórmula 1

Resultado de imagem para Maria Teresa de FilippisResultado de imagem para Susie Wolff

Não é necessário forçar a memória ou fazer uma consulta complexa. A Fórmula 1 existe há quase 66 anos e neste período apenas duas mulheres disputaram corridas: as italianas Maria Teresa de Filippis (1958-1959) e Lella Lombardi (1974-1976), a única a ter marcado ponto. Outras três tentaram a sorte nos treinos, mas não conseguiram tempo para se classificar para a largada. 
Resultado de imagem para Susie Wolff
Pronto, fim da história feminina em corridas de F-1. Em 2014, Susie Wolff, então piloto de testes da Williams, tornou-se a primeira mulher a participar de atividades em um fim de semana de corrida de Fórmula 1 em mais de duas décadas – a italiana Giovanna Amati havia sido a última, em 1992. A britânica disputou treinos livres dos GPs da Inglaterra e da Alemanha. Poderia ter a chance de correr na Malásia em 2015, quando o lesionado Valtteri Bottas esteve ameaçado de não disputar a prova. Claire Williams, chefe da equipe, rapidamente afastou a possibilidade: “Susie é nossa piloto de testes, não piloto-reserva”. Aos 33 anos, ela se aposentou no fim de 2015 dizendo que seu sonho de disputar corridas era inatingível. Outras pilotos também foram contratadas por equipes de Fórmula 1 nesta década, em ações mais parecidas com peças de marketing do que com iniciativas esportivas. Nenhuma delas esteve sequer próxima de correr. 
Resultado de imagem para María de Villota
A espanhola María de Villota morreu em 2013 aos 33 anos, pouco mais de um ano depois de um acidente durante um teste pela equipe Marussia que lhe custou o olho direito e sequelas que lhe tiraram a vida.

CONTEÚDO : RIP MAGAZINE RUSH

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.