Pular para o conteúdo principal

“Deram as costas para a bola”, lamenta Renato Portaluppi

Resultado de imagem para gremio logo
Desde antes da partida contra o Palmeiras, Renato Portaluppi vem pedindo para o Grêmio usar a “malandragem” contra os adversários. Contra os paulistas, o pedido foi atendido, mas contra o Cruzeiro, derrota por 1 a 0, no Mineirão, o sistema defensivo falhou no gol e o ataque perdeu algumas oportunidades. 
Resultado de imagem para gremio logo
O treinador lamentou a falta de finalizações com perfeição. “O Grêmio começou muito bem e teve umas três oportunidades claríssimas no começo do jogo. Infelizmente, não aproveitamos. O Cruzeiro, aos poucos, foi tomando conta da partida e criando (oportunidades). No segundo tempo, quando os jogadores estavam comemorando a defesa do Bruno (Grassi), e eu havia alertado para essa jogada, deram as costas para a bola, eles aproveitaram e marcaram o gol”, declarou Portaluppi. 

 O treinador não gostou da atuação da equipe e deixou o gramado do Mineirão reclamando bastante do desempenho do time. “O Grêmio não jogou tão bem como na partida contra o Palmeiras pela Copa do Brasil. Não aproveitamos o início do jogo, depois o Cruzeiro aproveitou o crescimento na partida e marcou o gol. 



Daqui para a frente, temos que manter a dedicação, entrega e pensamento de conquistar uma vaga para a Libertadores. Estamos a oito do G4 e seis do G5 e temos 30 pontos para disputar. Tem muita coisa para acontecer”, afirmou o técnico. Porém, para chegar ao G4, o Grêmio precisará vencer fora de casa para avançar. “Grêmio deu um pouco de azar porque vai enfrentar dois times que estão lutando contra o rebaixamento. Esses jogos não são fáceis e temos que tirar proveito deste desespero do adversário. 

Vamos jogar na Bahia e não tem jogo fácil no Brasileiro. Importante é a equipe voltar a ser equilibrada como nos três jogos sob o meu comando”, disse Renato Portaluppi. O Tricolor volta aos gramados na quarta-feira, às 19h30min, contra o Vitória, na Fonte Nova, em Salvador. Com a derrota, o Grêmio permaneceu com 40 pontos, oito atrás do Santos, último clube no G4, e caiu para nona colocação.
Resultado de imagem para correio do povo logo

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.