Pular para o conteúdo principal

Por que a Itália veste azul? E a Holanda laranja?... cores ausentes em suas bandeiras?

Resultado de imagem para italia x holanda euro 2000
Por que a Itália joga com uma camisa azul se não há nada de azul na bandeira do país? Por que a Holanda é conhecida como "Laranja Mecânica", se não possui essa cor em sua bandeira? No futebol, a camisa é um emblema - e também um eventual escudo perante a vergonha de uma derrota. Quando a Inglaterra foi eliminada da Copa do Mundo do México, em 1970, pela histórica seleção brasileira, dois gigantes da partida, Bobby Moore, capitão da Inglaterra, e Pelé, se encontraram no meio do campo e trocaram suas camisas como forma de celebrar o encontro memorável. A cor das camisas de um time é uma questão de orgulho nacional. E não se trata de uma escolha aleatória, porque a camisa é respeitada quase tanto quanto a bandeira. Conheça a origem das cores dos uniformes de quatro seleções de tradição: 

  A 'Azzurra' 

 A imagem de Marco Tardelli durante a final da Copa do Mundo na Espanha, em 1982, gritando emocionado, com sua camisa azul erguida enquanto cruzava o estádio Santiago Bernabéu, deu a volta ao mundo. Mas por que o azul? Por que não o verde dos "vales verdes de Lombardía" ou o vermelho dos "vulcões", como escreveu o poeta Francesco Dall'Ongaro se referindo à bandeira italiana? É que a formação da nação italiana, como a conhecemos hoje, foi um tanto quanto confusa. Durante séculos, a Itália, mais do que um país, era uma ideia de nação, que começou a ganhar forma com os esforços de Garibaldi e mais tarde do rei Victor Emmanuel 3º, na primeira metade do século 20. Foi durante o reinado do monarca que o famoso time de futebol italiano iniciou sua participação em competições internacionais. No dia 15 de maio de 1910, a seleção jogou seu primeiro jogo internacional contra a Alemanha. "A equipe italiana ficou famosa com a cor azul, mas na verdade seu primeiro jogo internacional foi disputado com camisa branca, a cor do brasão real", disse o assessor de imprensa da Federação Italiana de Futebol, Diego Antenonzio, à BBC Mundo. Só em 1922 que o time começou a usar o azul, que era a cor da bandeira da casa real de Sabóia, a que pertencia ao rei Victor Emmanuel 3º. Com essa cor, a "Azzura" (azul) alcançaria sua antiga glória: o título de 1934. Na época, Benito Mussolini até quis vestir a equipe de preto, como parte de sua propaganda, mas o time manteve o azul que hoje é famoso em todo o mundo. 

  A Alemanha prussiana 

 Se alguma nação passou por inúmeras mudanças no século 20, esta foi a Alemanha. Em 1900, era um império liderado pelo chanceler Otto Van Bismarck; 99 anos depois, uma potência se reestabelecendo depois de 30 anos dividida por um muro. Quando o futebol chegou à Alemanha, em 1900, o território era dominado pela Prússia; seu emblema oficial era o Reichsadler (em português livre, águia imperial).

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.