Pular para o conteúdo principal

Jorginho diz que Vasco não merecia derrota: "Vamos encarar a situação"

Resultado de imagem para vasco

Não desistir. Não se abater. As frases foram insistentemente ditas pelo técnico Jorginho após o sexto jogo consecutivo sem vitória do Vasco. São três empates e duas derrotas consecutivas nas últimas cinco partidas na competição nacional - no período, ainda perdeu para o Santos por 3 a 1 na Copa do Brasil. 

A deste sábado, por 1 a 0 contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, deixou o Vasco mais próximo dos outros adversários do G-4. Caso CRB e Ceará vençam seus compromissos ficam a apenas um ponto do Vasco, ainda na liderança. Jorginho lembrou que, com 41 pontos, o Vasco continua na frente pelo trabalho do início da segunda divisão. A vantagem, no entanto, já foi bem maior  chegou a ser de cinco pontos para o segundo colocado. 

O treinador ressaltou que o time precisa se recuperar. E para isso não pode baixar a cabeça. O técnico viu até boa partida dos vascaínos, citando que o Bahia "não criou nada" na segunda etapa. Para ele, houve falha no gol de bola parada, marcado por Jackson.- Temos trabalhado, treinado a equipe na medida do possível, o que o tempo permite. Acho que fizemos um bom jogo e pecamos no detalhe da bola parada. Temos que estar sempre ligados.. 

A equipe do Bahia não criou nada no segundo tempo, a não ser em contra-ataque. Temos que ter perseverança, não desistir. Se estamos ainda em primeiro, é porque criamos a gordura, trabalhamos para isso. Agora, é continuar trabalhando, não tem outro jeito. Não podemos nos abater para dar a volta por cima - afirmou Jorginho. Em rápida entrevista coletiva, Jorginho disse que é hora de administrar cobrança, pressão e insatisfação dos torcedores. 

Ele não acha que o Vasco mereceu a derrota para o Bahia. Mas elogiou o adversário pelo bom início de jogo, atuando no campo de ataque o tempo todo.- Nossa vida é de pressão o tempo todo. Não tem outra forma de pensar. Se tivéssemos vencido dois desses jogos, estaríamos em uma situação confortável. 

Futebol é assim, temos que encarar essa situação, o momento que a equipe está passando. Vamos ter uma semana de trabalho que vai nos ajudar muito.- Nossa equipe deixou de ter uma pegada forte. Realmente pega em conjunto, faz uma pressão em conjunto, isso eu vinha cobrando e aconteceu contra o Bahia. Poderíamos ter empatado, não merecíamos a derrota. A equipe buscou o resultado. Não foi falta de criatividade.Não acho que faltou intensidade. Contra o Vila Nova, não poderíamos entrar daquele jeito, mas contra o Bahia e contra o Tupi, não vejo assim. 

O Bahia começou o jogo em cima, é natural, com estádio cheio. Até jogadores que sabíamos que não tinham característica de marcação estavam marcando. Contra o Vasco a motivação é maior.
Resultado de imagem para gazeta web globo logo png

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

O time do Alto da Bica - A foto que virou saudade

O time do Alto da Bica surgiu, consultando minha memória, ali pelos anos 90 e pouco, coincidindo com o início da era Parmalat. Isso talvez explique os meninos - que acompanham os craques - tão bem vestidos. A sede fica na margem da rodovia Cianorte – São Tomé, logo após o ribeirão São Tomé, num trecho conhecido como Bica, por isso o nome: Alto da Bica.

Frequentado por cianortenses ilustres congrega em sua maioria os palmeirenses - também consultando minha memória, e o Avanti -. Nesta foto, em 98, vemos o elenco pronto para mais uma vitória; vou fazer a escalação e pedir mil perdões se errar o nome de alguém, pois embora conhecendo pela fisionomia posso me confundir na denominação. De pé, da esquerda para a direita: Miguel Deneka, Flávio Vieira, Cometa, Gaúcho, Jácomo e Zezé; agachados, na mesma ordem: Antônio Rogério, Maurício, Nilo, Deíca e Spagola...

Por Marco Antônio de Paula Franco