Pular para o conteúdo principal

JOGOS ETERNOS – ITÁLIA 4×3 ALEMANHA 1970

tumblr_m6b7ztSA0G1r6mwuno1_500
VIDEO 


Data: 17 de junho de 1970.

 O que estava em jogo: uma vaga na final da Copa do Mundo de 1970.

Local: Estádio Azteca, Cidade do México, México.

Juiz: Arturo Yamazaki (PER)

Público: 102.440 pessoas

Os times:
Itália: Albertosi; Burgnich, Rosato (Poletti), Cera e Facchetti; Bertini e De Sisti; Domenghini, Boninsegna, Mazzola (Rivera) e Riva. Técnico: Ferruccio Valcareggi.

Alemanha: Maier; Vogts, Schnellinger, Beckenbauer e Patzke (Held); Schulz e Overath; Grabowski, Uwe Seeler, Gerd Müller e Löhr (Libuda).Técnico: Helmut Schön. Placar: Itália 4×3 Alemanha.

Gols: Boninsegna-ITA aos 8′ do 1º T, Schnellinger-ALE aos 47´do 2º T; Müller aos 4´, Burgnich-ITA aos 8´e Riva-ITA aos 13´do 1º T da prorrogação; Müller-ALE aos 4´e Rivera-ITA aos 5´do 2º T da prorrogação.Resultado de imagem para italia x alemanha 1970

 “ A partida mais alucinante da história das Copas” 
Resultado de imagem para italia x alemanha 1970
 Calor. Muito calor. Estádio lotado. Límpido. Em campo, três títulos mundiais. De um lado, jogadores vestidos de azul, fortes e cheios de fôlego. Do outro, alvinegros ainda exaustos da batalha prévia contra os ingleses então campeões mundiais. Parecia fácil para os italianos. Só parecia. Eles cometeram o pecado da retranca enquanto venciam. 

Os alemães, maiores traiçoeiros do planeta bola, aproveitaram. Quando a torcida italiana já se programava para a final, eis o gol de empate. Sim, os alvinegros teriam pela frente outra prorrogação. Como aguentar? Beckenbauer desloca o ombro. Substituições já realizadas. Ficar com 10 homens? Nem a pau! O Kaiser volta ao campo. Enfaixado. 

Heroico. Sua bravura inspira a Alemanha. Que vira. E leva nova virada. Mas empata! Mas perde. Mas valeu. Naquele dia 17 de junho de 1970, milhões de pessoas assistiram a maior partida de futebol da história das Copas do Mundo. Jamais houve um jogo como aquele. Jamais uma prorrogação foi tão alucinante e frenética. 

Times ao ataque. Zagueiros além do meio de campo. Atletas exaustos. Se fosse possível torcer o gramado do estádio Azteca naquela tarde, litros e mais litros de suor poderiam encher piscinas. Era demais. Era incrível. Era eterno, como os próprios mexicanos confirmaram ao fazer uma placa na porta do estádio homenageando aquele confronto. 

 por IMORTAIS DO FUTEBOL

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.