Pular para o conteúdo principal

Em rodada adiada, Flu vence e complica Figueirense

                Do Estadão Conteúdo | esportes@band.com.br 
Resultado de imagem para fluminense
Um fraco início de segundo tempo quase complicou a vida do Fluminense, que teve de reagir para conquistar uma importante vitória contra o Figueirense por 3 a 2, neste sábado, no estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ). O resultado em jogo atrasado pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro coloca o time tricolor na briga pela classificação à Copa Libertadores da América do próximo ano e complica a vida do clube catarinense na tabela, que está na zona da degola. 

 Em ascensão, os cariocas assumiram a oitava posição, com 34 pontos, três atrás do Corinthians, quarto colocado. Na luta contra o rebaixamento, o Figueirense segue em 18º, com 24 pontos e desperdiçou a chance de subir cinco posições. Na quarta-feira o Fluminense enfrenta o Botafogo, no estádio Luso Brasileiro, no Rio, enquanto os catarinenses pegam o Atlético Paranaense, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis, na abertura da 23ª rodada. Pelo primeiro tempo, parecia que o Fluminense conseguiria uma goleada com tranquilidade. Aos seis minutos, Renato Chaves fez boa jogada e passou para Gustavo Scarpa quase abrir o marcador. 

O jogo era todo tricolor, que não demorou para balançar as redes. Aos 13, Wellington fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Gustavo Scarpa marcar de cabeça: 1 a 0. Sem diminuir o ritmo, o time carioca logo ampliou. Aos 19, após confusão na área, Gatito Fernández espalmou em cima de Renato Chaves, que completou de cabeça para o gol: 2 a 0. Atordoado, o Figueirense tinha como problema o nervoso Carlos Alberto, que começou a discutir com a arbitragem, Wellington Silva e o técnico Levir Culpi. 

 O descontrole do jogador, somado ao desempenho ruim da equipe, quase custou o terceiro gol sofrido ainda no primeiro tempo. Após novo erro defensivo alvinegro, Henrique Dourado perdeu grande chance na pequena área. No último minuto, Wellington Silva cruzou para Cícero cabecear forte e ver Gatito Fernández fazer grande defesa. No segundo tempo, Carlos Alberto voltou concentrado na partida e fez a diferença. 

Aos três minutos, o meia acertou um belo chute de fora da área e diminuiu o prejuízo: 2 a 1. A nova postura do time catarinense incomodou a equipe tricolor, que não encontrava a mesma facilidade para furar o bloqueio adversário. Aos 15, veio o empate. Ayrton cobrou falta na área e Nirley completou de cabeça: 2 a 2. Imediatamente, Levir colocou Magno Alves no lugar de Henrique Dourado. Não surtiu muito efeito. Aos 27, Rafael Silva girou com facilidade e quase virou o placar. 

 Quando o Figueirense era melhor em campo, o Fluminense voltou a marcar. Aos 33, Wellington Silva cruzou na medida para Magno Alves balançar as redes de cabeça: 3 a 2. Novamente com a vantagem, o time tricolor voltou a falhar e quase entregou o empate. Na melhor oportunidade, Diego Cavalieri saiu errado do gol e Lins cabeceou. Para a sorte carioca, a bola foi na trave. 

Aos 49, o goleiro voltou a falhar e Nirley marcou o gol. Mas, desta vez, o árbitro marcou falta no camisa 12 e encerrou o jogo com a vitória do time de Levir Culpi.
Resultado de imagem para band.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

O futebol e a salsicha

Dia destes numa fila qualquer ouví um dizer: "Perdí as esperanças no futebol depois da final da Copa da França em 1998. 
 Logo pensei : 

" Se Imaginássemos como são feitos o futebol e a salsicha jamais consumiriamos essas "guloseimas"

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

07/08/2016 22:05 A seleção brasileira masculina de hóquei sobre grama disputou o seu segundo compromisso no torneio dos Jogos Olímpicos Rio 2016 neste domingo, 8 de agosto, no Centro Olímpico de Hóquei, no Complexo de Deodoro. Ao enfrentar a forte Bélgica, a seleção brasileira foi derrotada pelo placar de 12 a 0. O Brasil passou a somar duas derrotas em duas partidas, já que perdeu na estreia para a Espanha por 5 a 0. Na próxima rodada, terça-feira, 9 de agosto, os brasileiros voltam a campo para encarar a Grã-Bretanha. Encarando um time muito competitivo, os atletas brasileiros conseguiram manter o jogo equilibrado até o fim do primeiro quarto – de um total de quatro quartos, de 15 minutos cada –, quando a Bélgica marcou seus dois primeiros gols. A partir daí, a equipe brasileira sucumbiu à superioridade belga, ameaçando o gol adversário apenas em lances esporádicos. Com o domínio absoluto da partida, a Bélgica foi ampliando até chegar ao placar final de 12 a 0. "Pela primeira vez …

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)