Pular para o conteúdo principal

VIDEO:O jogo que deu o título olímpico ao futebol masculino do Brasil

Resultado de imagem para futebol medalha de ouro

VIDEO:

Neymar foi a grande estrela do Brasil na conquista da medalha de ouro inédita no futebol na Olimpíada do Rio de Janeiro e também foi um dos astros da modalidade nos Jogos. Sem a presença de muitas estrelas, muito por conta da desobrigação dos clubes em liberar jogadores para a competição, o jornalista britânico Tim Vickery, da BBC, é um crítico quando o assunto é o futebol olímpico. Apesar das ressalvas, ele acredita que o Brasil teve reflexos positivos dentro do que considera uma "mentira" . - Hoje em dia, vejo o torneio de futebol na Olimpíada como uma mentira, mas acho que para o futebol brasileiro é uma mentira útil. Por que uma mentira? Porque acho que morreu há oito anos, quando o Barcelona levou a coisa para o tribunal arbitral para ganhar o direito de não liberar Messi para os Jogos de Pequim. Ganhou, mas o Messi já estava lá e recusou a voltar. 

Mas a guerra os clubes ganharam e, desde então, não há a obrigação de liberar jogador, e quer dizer que tecnicamente é um terror. É muito ruim o torneio nas Olimpíadas - considerou. Vickery citou como exemplo a Alemanha, adversária do Brasil na briga pelo lugar mais alto do pódio - a seleção venceu nos pênaltis e deixou os alemães com a prata. Para ele, a ausência de jogadores que disputaram a Eurocopa, por exemplo, demonstra a queda de qualidade. - O time da Alemanha, por exemplo: o elenco principal que foi para a França na Eurocopa tinha sete jogadores com idade olímpica. Sabe quanto desses sete foram para o Rio de Janeiro? 

Zero! Os clube não liberaram. Então, a qualidade de adversário não existe. Nesse sentido, é uma mentira. Mas acho que é uma mentira útil para o futebol brasileiro porque ele estava precisando de uma notícia boa, estava precisando chamar o torcedor, e isso aconteceu. 


E segundo porque pode ser que, durante o torneio, o Brasil achou um modelo de jogar - disse. Capitão da conquista, Neymar esteve nos Jogos após um acerto com o Barcelona, que acabou não liberando o craque para a Copa América - era um desejo do atacante disputar os Jogos. Para o jornalista, ainda que o jogador tenha sido decisivo, a seleção chamou mais atenção no aspecto coletivo. - Eu estava na final. Fracasso é uma palavra forte demais, mas, de certa maneira, vi a final como um fracasso individual. O Brasil controlou a maioria do jogo, mas teve poucas oportunidades (...) Sempre Gabriel Jesus, Luan e Gabigol precisavam de tempo demais para chutar. Futebol de alto nível não dá esse tempo, parecia que estava assistindo golfe. 

Então, individualmente, acho que de certa maneira fracassaram os grandes talentos, mas coletivamente (o Brasil) jogou de maneira interessante, conseguiu ficar compacto na frente - analisou. Passada a Olimpíada, sete jogadores que participaram do ouro foram chamados por Tite para a seleção principal. Na agenda, dois compromissos pelas eliminatórias para a Copa de 2018: enfrenta o Equador em Quito, dia 1º, e a Colômbia na Arena Amazônia, em Manaus, dia 6.
Resultado de imagem para SPORT TV

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 já é realidade e as expectativas de medalhas brasileiras são grandes. No nado sincronizado, entretanto, a esperança é de uma quebra de tabu, já que desde que foi incluído no programa olímpico, em Los Angeles 1984, a modalidade nunca viu uma brasileira no pódio. Para que o sonho se torne realidade, a equipe já treinava intensamente no Centro Aquático Maria Lenk, antes mesmo do início da Rio 2016, casa do nado, saltos ornamentais e polo aquático. 

As provas do nado sincronizado começam só no dia 14 de agosto, mas as brasileiras já estão na arena aquática do Rio (as provas de natação acontecerão em outro local) para entrar no clima olímpico e se familiarizar ainda mais com o local. "A gente está "super feliz" por ter vindo mais cedo e já ter começado a sentir o clima dos Jogos. 

Treinávamos aqui, mas agora o clima é diferente. Além de estar mais bonito, brincamos que já tem cheiro de olimpíada. Os países ainda estão começando a chegar. O ambiente …

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

07/08/2016 22:05 A seleção brasileira masculina de hóquei sobre grama disputou o seu segundo compromisso no torneio dos Jogos Olímpicos Rio 2016 neste domingo, 8 de agosto, no Centro Olímpico de Hóquei, no Complexo de Deodoro. Ao enfrentar a forte Bélgica, a seleção brasileira foi derrotada pelo placar de 12 a 0. O Brasil passou a somar duas derrotas em duas partidas, já que perdeu na estreia para a Espanha por 5 a 0. Na próxima rodada, terça-feira, 9 de agosto, os brasileiros voltam a campo para encarar a Grã-Bretanha. Encarando um time muito competitivo, os atletas brasileiros conseguiram manter o jogo equilibrado até o fim do primeiro quarto – de um total de quatro quartos, de 15 minutos cada –, quando a Bélgica marcou seus dois primeiros gols. A partir daí, a equipe brasileira sucumbiu à superioridade belga, ameaçando o gol adversário apenas em lances esporádicos. Com o domínio absoluto da partida, a Bélgica foi ampliando até chegar ao placar final de 12 a 0. "Pela primeira vez …

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)