ZH

 

Zero Hora

Últimas notícias

Carregando...

/

ESPORTE PARA TODOS!

 

OUÇA - A VIDA DE WILSON SILVA

terça-feira, 16 de agosto de 2016

UOL : Robson Conceição bate francês e ganha 1º ouro brasileiro no boxe em Jogos

Robson Conceição fez história nesta terça-feira. Empurrado pelos torcedores presentes no pavilhão seis do Riocentro, o baiano confirmou seu favoritismo com uma vitória incontestável para se consagrar como o primeiro pugilista medalhista de ouro do Brasil em Olimpíadas. O feito histórico veio após vencer a luta contra o francês Sofiane Oumiha por decisão unânime dos jurados (30-27, 29-28 e 29-28) na categoria dos pesos-leves (até 60 quilos).O resultado faz Conceição superar a melhor campanha do Brasil na modalidade em edições de Jogos Olímpicos. 

A marca anterior pertencia a Esquiva Falcão, medalhista de prata em Londres-2012. Os outros medalhistas brasileiros em Jogos Olímpicos são Servílio de Oliveira (Cidade do México-1968), Yamaguchi Falcão (Londres-2012) e Adriana Araújo (Londres-2012), todos com medalha de bronze. Peter Cziborra/Reuters imagem: Peter Cziborra/Reuters Neste último um ano e meio, Conceição se dividiu entre treinos com a seleção brasileira em São Paulo e com seu técnico pessoal, Luiz Dórea, na Bahia. Isso porque o pugilista baiano queria ficar mais perto da família após o nascimento da filha Sophia. Apesar dessa "divisão", Robson participou de todos compromissos importantes da seleção, como finalizações para torneios, como o Mundial, e training camps em outros países. 

Quem o acompanhou nessas lutas da APB (Liga Profissional da Aiba) foi o técnico Mateus Alves, da Confederação Brasileira de Boxe. "A comissão técnica da Confederação Brasileira de Boxe é campeão olímpica. Nada se constroi sozinho, é tudo um conjunto", disse Cláudio Aires, um dos técnicos da seleção, deixando o trabalho em equipe feito com Robson. "Ele sofreu um trauma muita grande em 2011, quando, no Mundial do Azerbaijão, reverteram o resultado dele nas quartas de final. Tive que acordá-lo às 5h da manhã para avisar que ele estava fora da competição. Depois, eliminado na primeira luta em Pequim-2008 e Londres-2012, vendo colegas do mesmo nível técnico (Esquiva e Yamaguchi) voltando com medalha", completou Mateus Silva. gritos de “o campeão chegou”, o brasileiro entrou aclamado no ringue. Já o francês enfrentou algumas vaias e ouviu o tradicional grito “uh, vai morrer”. 

Os dois começaram o primeiro round com uma luta franca. Robson dominou o centro e utilizou uma estratégia de ser muito agressivo, para já deixar uma boa impressão aos juízes. Ao final, o brasileiro venceu a parcial por triplo 10-9. No segundo assalto, o francês demonstrava boa velocidade, mas Conceição, apesar de abusar da guarda baixa, conseguia impor seu jogo, investindo em golpes mais potentes do que o rival. Assim como no primeiro, o brasileiro também venceu por triplo 10-9. No último round, já com a vitória garantida por pontos, Conceição soube administrar a luta, ditando muito bem o ritmo. Ainda assim, dois jurados deram vitória no assalto ao francês, enquanto um deles ainda viu o brasileiro melhor. O resultado? A primeira medalha de ouro do Brasil no boxe olímpico. Robson Conceição precisou fazer três lutar até chegar à final da competição. Na estreia da Rio-2016, teve pela frente Anvar Yunusov, do Tadjiquistão, e logo mostrou a que veio. Com toda sua qualidade, venceu por nocaute técnico, já que o tadjique não voltou ao segundo assalto. 

 Na sequência, nas quartas de final, precisou superar Hurshid Tojibaev, do Uzbequistão, para já garantir ao menos uma medalha olímpica. Com uma vitória por decisão unânime dos jurados (30-27/30-27/29-28), avançou à semifinal, que já lhe bastava para ficar com um bronze. Mesmo com um terceiro lugar garantido, Conceição queria mais. Quinto colocado no ranking elaborado pela Associação Internacional de Boxe Amador (AIBA, na sigla), Robson superou então o cubano Jorge Lazaro Alves, então líder do ranking e tricampeão mundial na divisão, para chegar à decisão.