Pular para o conteúdo principal

Sob chuva, Kipchoge vence maratona, e brasileiros ficam longe do pódio

A bateria da escola de samba da União da Ilha estava presente no Sambódromo, local da largada e chegada da maratona da Rio 2016. Mas quem ditou o ritmo da prova masculina de 42,195km foi a chuva e os corredores da África, com o queniano Eliud Kipchoge (2h08m04s) chegando em primeiro e o etíope Feyisa Lilesa (2h09m54s) com a prata. 
Eliud Kipchoge maratona Olimpíada ouro (Foto: Sergio Moraes / Reuters)
O penetra no pódio africano foi Galen Rupp, dos Estados Unidos, que terminou em terceiro (2h10m05s). Já os brasileiros Paulo Roberto Paula obteve a 15ª posição, Marilson dos Santos, a 59ª, e Solonei Rocha, a 78ª. Kipchoge completou o percurso em 2h08m44s, conquistando assim sua sexta vitória em seis maratonas disputadas. - Estava um pouco lenta a prova, então eu decidir tomar a frente. Talvez tenha sido a chuva, talvez não. 

Todos querem a medalha. Vim aqui para o ouro. Foi incrível para nós. Os quenianos vão ficar muito felizes. É histórico, a primeira vez que o Quênia vence a maratona masculina e a feminina na mesma Olimpíada. 

É o melhor momento da minha vida - contou Kipchoge, lembrando que Jemina Sumgong foi a campeã no Rio.
Resultado de imagem para g1 logo png

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.