Pular para o conteúdo principal

Quem foi o primeiro goleiro a usar luvas?

Resultado de imagem para Heiner Stuhlfauth

Fiz um grande achado recentemente na internet. Comprei um exemplar do livro “Who Invented the Bicycle Kick?”, dos jornalistas Paul Simpson e Uli Hesse, lançado em 2013. Simpson é editor da Champions, revista oficial da UEFA Champions League, e Hesse escreveu também Tor!, livro que conta a história do futebol alemão. Entre as diversas histórias curiosas, destaco a do primeiro goleiro a usar luvas. Os dois dão o crédito ao goleiro 
Resultado de imagem para Heiner Stuhlfauth
Na mesma época, segue a obra, o espanhol Ricardo Zamora raramente entrava em campo sem luvas de lã, embora os autores acreditem que, no caso dele, se tratasse mais de uma vaidade. Zamora considerava as luvas parte de um modelo de etiqueta que deveria ser seguido pelos homens.

A história conta que o primeiro brasileiro a usar uma luva em campo foi Jaguaré Bezerra de Vasconcelos. Em 1931, ele foi vendido do Vasco para o Barcelona, da Espanha.  “Na sua estreia na Europa, Jaguaré usou luvas feitas de couro”, conta Paulo Guilherme, autor do livro “Heróis e Anti-Heróis da Camisa 1”.  “Só que ele não estava preocupado com a melhora de seu rendimento, apenas não estava acostumado com o frio.” que defendeu o Nuremberg e também a Seleção da Alemanha na década de 1920. 
Resultado de imagem para ricardo zamora
O livro reproduz uma frase bem espirituosa de Heiner: “Quando estava chovendo, eu usava luvas de lã áspera e a bola molhada se prendia muito melhor nas minhas mãos. A vida me ensinou que não dá para pegar uma enguia com as mãos nuas”.Na mesma época, segue a obra, o espanhol Ricardo Zamora raramente entrava em campo sem luvas de lã, embora os autores acreditem que, no caso dele, se tratasse mais de uma vaidade. 
Resultado de imagem para ricardo zamora
Resultado de imagem para ricardo zamora
Zamora considerava as luvas parte de um modelo de etiqueta que deveria ser seguido pelos homens. A história conta que o primeiro brasileiro a usar uma luva em campo foi Jaguaré Bezerra de Vasconcelos. Em 1931, ele foi vendido do Vasco para o Barcelona, da Espanha. “Na sua estreia na Europa, Jaguaré usou luvas feitas de couro”, conta Paulo Guilherme, autor do livro “Heróis e Anti-Heróis da Camisa 1”. “Só que ele não estava preocupado com a melhora de seu rendimento, apenas não estava acostumado com o frio.”
logo

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.