Pular para o conteúdo principal

"Hoje o dia era do Figueirense", diz Rafael Moura em dia marcado pela despedida de Gabriel do Santos

"Hoje o dia era do Figueirense", diz Rafael Moura em dia marcado pela despedida de Gabriel do Santos Cristiano Estrela/Agencia RBS

Em dois jogos, quatro gols. Esse é o retrospecto de Rafael Moura nas duas últimas partidas do Figueirense. Foram três na vitória por 4 a 2 sobre o Flamengo, na Copa Sul-Americana, e um no triunfo deste domingo contra o Santos, na Vila Belmiro, pela Série A. 

Em dois jogos, quatro gols. Esse é o retrospecto de Rafael Moua nas duas últimas partidas do Figueirense. Foram três na vitória por 4 a 2 sobre o Flamengo, na Copa Sul-Americana, e um no triunfo deste domingo contra o Santos, na Vila Belmiro, pela Série A. F No jogo contra o Santos, ele e seus companheiros estragaram a festa de despedida do atacante Gabriel. O atacante está de saída para a Inter de Milão e o Peixe tinha armado uma celebração para o atleta, mas o Furacão venceu o jogo e atrapalhou a comemoração.
 — Literalmente (estragou a festa).

 Desejo muita sorte para o Gabriel, um moleque de ouro. Mas hoje o dia era do Figueirense, precisávamos dessa vitória — disse o atacante ao canal Sportv. Rafael Moura também destacou a luta do time para conseguiu o triunfo depois de jogar na quarta-feira, às 21h45min, contra o Flamengo e neste domingo, às 11h, de baixo de um forte sol que elevava a temperatura. — Lutamos e corremos muito. A intensidade do jogo de quarta-feira foi grande e por isso é difícil jogar em um horário noturno e aqui jogar nesse sol, em Florianópolis está frio e aqui um baita calor. 

Fizemos um grande resultado, uma partida que a nossa defesa está de parabéns, principalmente o Gatito Fernández — completou o atacante, desta vez a rádio CBN Diário. 

Resultado de imagem para diario catarinense
 

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

O time do Alto da Bica - A foto que virou saudade

O time do Alto da Bica surgiu, consultando minha memória, ali pelos anos 90 e pouco, coincidindo com o início da era Parmalat. Isso talvez explique os meninos - que acompanham os craques - tão bem vestidos. A sede fica na margem da rodovia Cianorte – São Tomé, logo após o ribeirão São Tomé, num trecho conhecido como Bica, por isso o nome: Alto da Bica.

Frequentado por cianortenses ilustres congrega em sua maioria os palmeirenses - também consultando minha memória, e o Avanti -. Nesta foto, em 98, vemos o elenco pronto para mais uma vitória; vou fazer a escalação e pedir mil perdões se errar o nome de alguém, pois embora conhecendo pela fisionomia posso me confundir na denominação. De pé, da esquerda para a direita: Miguel Deneka, Flávio Vieira, Cometa, Gaúcho, Jácomo e Zezé; agachados, na mesma ordem: Antônio Rogério, Maurício, Nilo, Deíca e Spagola...

Por Marco Antônio de Paula Franco