Pular para o conteúdo principal

Um Héber, duas medidas: árbitro troca critério para situações semelhantes


Achei um artigo sobre atuações do árbitro Héber Roberto Lopes , de quem tenho um enorme respeito , inclusive já tive oportunidade de entrevistá lo tendo uma ótima  impressão e afeição por ser ele muito prestimoso com a imprensa.O artigo publicado pelo site globo esporte.com diz assim :
Pizzi Heber Roberto Lopes Argentina x Chile (Foto: EFE)
 Um mesmo árbitro, mas reações e critérios distintos no espaço de apenas uma semana. Dono do apito na final da Copa América no dia 26 de junho nos Estados Unidos, Héber Roberto Lopes voltou à realidade do futebol nacional no duelo entre Corinthians e Flamengo no último domingo e mostrou uma rápida mudança de postura dentro de campo. 

Bastante rigoroso e distribuidor de cartões na decisão entre Chile e Argentina, deixou passar o lance mais violento do encontro entre paulistas e cariocas válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Aos 40 minutos do primeiro tempo na Arena Corinthians, Fagner entrou com força excessiva em dividida com Ederson, e Héber sequer marcou falta. Por bem menos, Rojo recebeu cartão vermelho direto na final da competição continental . Foi uma entrada criminosa. 

E o juiz nem falta marcou - disse Ederson. Outra atitude diferente do árbitro paranaense: no lance em São Paulo, expulsou o técnico do Flamengo, Zé Ricardo, após gestos de reclamação. Nos EUA, a paciência com Tata Martino e Juan Antonio Pizzi esteve bem maior - a foto ao lado exemplifica em um momento de argumentação com o treinador do Chile. Vale lembrar que é uma orientação da CBF, que instituiu desde o ano passado a "cruzada pelo respeito", a punição mais rigorosa para quem extrapola com gestos, xingamentos ou agressões na hora de fazer ponderações diante dos árbitros. 

No clássico brasileiro foram cinco cartões amarelos distribuídos, com um rigor bem menor em relação ao encontro entre argentinos e chilenos - em Nova Jersey, foram sete amarelos e duas expulsões. Dos últimos dez jogos apitados por Héber Roberto Lopes, Corinthians 4 x 0 Flamengo foi apenas o quarto que terminou sem expulsões.O comentarista de arbitragem da TV Globo Arnaldo César Coelho trabalhou no jogo da Arena Corinthians e, na primeira opinião, disse não ter visto irregularidade na jogada protagonizada por Fagner. Um dia depois, em participação no programa "Bem, Amigos!", do SporTV, voltou atrás, pediu desculpas e analisou o lance novamente. 

- Errei pelo clima do jogo, que estava com poucas faltas e não teve nenhuma polêmica de arbitragem. O pé esquerdo do Fagner toca primeiro na bola, mas ele trança as pernas do Ederson no lance. Atitude temerária. Falta e lance para cartão amarelo - resumiu.
Resultado de imagem para globo esporte.com

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.