ZH

 

Zero Hora

Últimas notícias

Carregando...

/

ESPORTE PARA TODOS!

 

OUÇA - A VIDA DE WILSON SILVA

terça-feira, 5 de julho de 2016

VIDEO : Copa de 1978 : Brasil 0x0 Argentina

Sem derrotas na Copa, consolo da seleção brasileira é 'título moral' na Argentina
VIDEO :

Sem derrotas na Copa, consolo da seleção brasileira é 'título moral' na Argentina 

A preparação brasileira para a Copa de 1978 foi conturbada, assim como nas competições anteriores. O time começou as eliminatórias com Osvaldo Brandão no comando, mas ele foi substituído por Cláudio Coutinho após o empate em 0 a 0 com a Colômbia. Com Coutinho à frente, a equipe não teve problemas para se classificar. Venceu quatro e empatou um dos jogos restantes, marcando 17 gols e sofrendo apenas 1. 

O Brasil viajou para a Argentina com uma equipe cheia de craques - do goleiro Leão - um dos melhores do mundo - ao craque Zico e ao artilheiro Roberto Dinamite. No entanto, a seleção estava prejudicada por diversas contusões e pela falta de conjunto. Na primeira fase, estreou com um 1 a 1 diante da Suécia (gol de Reinaldo), ficou no 0 a 0 com a Espanha e, precisando derrotar a Áustria para se classificar, venceu apenas por 1 a 0. Na fase semifinal, o desempenho brasileiro melhorou sensivelmente. Já era outro time contra o Peru, jogo que venceu por 3 a 0, com gols de Zico e Dirceu (dois). 

O confronto seguinte foi o mais difícil do Brasil na Copa, contra a arquirrival Argentina. Disputada e violenta, a partida ficou no 0 a 0. Na última rodada da semifinal, contra a Polônia, o time fez mais uma boa apresentação. Nelinho abriu o placar para os brasileiros, mas Lato, artilheiro da Copa anterior, empatou. Na etapa final, Roberto Dinamite marcou duas vezes e garantiu a vitória por 3 a 1. Apesar dos bons resultados, o Brasil não se classificou para a decisão.

 A Argentina fez 6 a 0 no Peru (em jogo que ficou sob a suspeita de ter sido "arranjado") e ficou com a vaga graças ao saldo de gols. Restou a decisão do terceiro lugar contra a Itália, e o Brasil ganhou de virada, por 2 a 1, terminando a Copa invicto. 

O técnico Cláudio Coutinho, então, cunhou uma expressão que até hoje serve para definir o desempenho brasileiro naquele mundial: "somos os campeões morais", disse, em referência à controversa e inesperada goleada sofrida pelo Peru diante da Argentina, que eliminou o Brasil da disputa pelo título.

  Conteúdo : UOL