Pular para o conteúdo principal

Voleibol e o "clima olímpico


Lucão no treino desta terça-feira, na Arena Carioca 1
Lucão no treino de terça-feira, na Arena Carioca 1

A seleção brasileira masculina de vôlei fez já começou a sentir o clima olímpico. Na tarde desta terça-feira (14.06), a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho já fez o segundo treino na Arena Carioca 1, que fica dentro do Parque Olímpico, onde jogará contra as seleções do Irã, Argentina e Estados Unidos nesta semana. Será a primeira etapa da Liga Mundial e primeiros jogos oficiais da seleção verde e amarela. 

 Os jogadores sentiram a sensação de estar no parque olímpico e, embora não joguem neste local durante os Jogos Olímpicos, comemoram o fato de ter a chance de disputar uma competição tão importante às vésperas do principal campeonato do calendário esportivo. Segundo o central Lucão, essa é uma oportunidade que deve ser aproveitada pela seleção brasileira. “Muito se fala que, neste ano, a Liga Mundial é ainda mais importante por servir como um forte teste para os Jogos Olímpicos, mas vejo como algo até maior do que isso. Acho que é fundamental para conseguirmos ainda mais respeito das outras equipes. 

É um campeonato muito importante, onde estamos tentando o décimo título há alguns anos e queremos essa conquista e não apenas testar o nosso time”, afirmou Lucão. O capitão da seleção brasileira, Bruninho, também faz questão de valorizar a Liga Mundial, mesmo neste ano olímpico. A estreia, contra o Irã, na próxima quinta-feira (16.06), às 14h10, é analisada pelo jogador como algo importante para a evolução do grupo. 

 “É mais uma oportunidade da nossa equipe ganhar entrosamento e se preparar ainda melhor para esse grande objetivo que é conseguir um bom resultado nos Jogos Olímpicos. Mas, além disso, vamos poder ver o nível em que estamos perante os adversários e, claro, é um campeonato importante que também queremos vencer”, disse Bruninho. 

 O levantador ainda lembrou do valor de enfrentar, nesta etapa da Liga Mundial, um adversário que terá novamente nos Jogos Olímpicos. “Os Estados Unidos estão no nosso grupo e os outros dois times, Irã e Argentina, podem ser adversários um pouco mais a frente. Por tudo isso, essa vai ser uma semana importante para podermos entender bem o que precisamos melhorar e o que podemos evoluir em relação a essas equipes”, analisou Bruninho. 
Para os Jogos Olímpicos, o vôlei se transfere para o ginásio do Maracanãzinho, que, atualmente recebe os últimos ajustes. 

 O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro.

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.