'Sério, honesto e gente boa', Cristóvão tem aval e reencontros no Timão

Primeiro treino do Corinthians com o novo técnico Cristóvão Borges Gabriel Carneiro 20/06/2016 06:00 São Paulo (SP) 

Resultado de imagem para lancenet logo png
Um elogio feito pelo lateral-direito Fagner, jogador que mais vezes foi capitão do Corinthians em 2016, foi um dos fatores determinantes para o clube decidir efetivar a contratação do técnico Cristóvão Borges para o lugar de Tite. Além de conhecer qual seria a reação do grupo atual ao nome do possível novo treinador, o Timão mostrava interesse em saber mais do modo como o comandante conduz o trabalho por meio da visão de um jogador que já foi comandado por ele no passado. Consenso entre a diretoria e elogiado por Fagner, Cristóvão assinou contrato com o Corinthians no fim da tarde de domingo e será apresentado pelo clube na manhã desta segunda-feira. 

 Fagner foi dirigido por Cristóvão Borges entre 2011 e 2012, quando o treinador passou pelo Vasco para substituir Ricardo Gomes, que sofreu um AVC em agosto de 2011, foi internado em estado grave e viu o ex-auxiliar assumir o comando com um vice-campeonato do Brasileirão. Cristóvão foi efetivado em 2012 e seguiu o trabalho até setembro daquele ano, quando foi dispensado. Fagner já havia saído em julho, após praticamente um ano sendo comandado pelo treinador, que depois seguiu a carreira em Bahia, Fluminense, Flamengo e Atlético-PR. Em dois desses clubes, Cristóvão comandou jogadores que agora reencontra no Corinthians: Marquinhos Gabriel, no Bahia, e Marlone, em dois clubes. 

O primeiro já estava no Bahia, emprestado pelo Internacional, quando o treinador chegou, e só depois dessa chegada é que teve chances como titular e se destacou. Já o segundo atuou com o técnico no Vasco e depois no Fluminense - um dos fatores alegados por Marlone para jogar no Flu foi justamente a boa relação com o experiente treinador. "É um técnico de alto nível, inteligente, tranquilo e sabe motivar o grupo", chegou a dizer Marlone quando foi contratado pelo Fluminense, em 2014. - Ele é um cara excepcional, tenho certeza que vem para ajudar, agregar bastante. Já trabalhei com ele, sei que é um cara muito calmo e tranquilo, e vamos ajudá-lo, porque o quanto antes ele estiver integrado melhor - diz Fagner. 

 Os elogios de jogadores não são o único aval de Cristóvão Borges no desafio de substituir Tite no comando do Corinthians. Por ter sido um nome de consenso na lista de possibilidades levantada pela diretoria, o treinador chega com crédito. 

Segundo o presidente Roberto de Andrade, a estrutura do clube e principalmente a pouca rotatividade do trabalho dos treinadores são razões para esta confiança. - Trouxemos um cara competente, sério, honesto, muito gente boa e que sabe lidar com os atletas. 

É o que a gente procurava, ele se encaixa na nossa estrutura. Mas independente do profissional que esteja à frente do time, a estrutura funciona. O professor Tite saiu, a equipe manteve o padrão com o professor Carille e agora é manter com o Cristóvão - argumenta o presidente.
Resultado de imagem para lancenet logo png

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"