ZH

 

Zero Hora

Últimas notícias

Carregando...

/

ESPORTE PARA TODOS!

 

OUÇA - A VIDA DE WILSON SILVA

quinta-feira, 23 de junho de 2016

1950 : Maracanazo




maracanazo
Reprodução da coluna de Odilon Braz no semanário Mundo Esportivo, de São Paulo, em sua edição de 21 de julho de 1950 – a primeira após o Maracanazo. A linguagem da época e os erros de tipografia são mantidos. Uma semana antes, às vésperas da decisão, o mesmo jornal havia publicado na capa uma chamada garrafal dizendo SEREMOS CAMPEÕES (acima havia um “empatando com o Uruguai”, mas estava tão pequeno que era como se não estivesse). Segue o texto: 
mundoesportivopremaracanazo
  DRAMA, TRAGEDIA E RIDICULO! 
VIDEO 1 :
Reduzidas a po’ as mais lidimas esperanças – Flavio Costa, sinal dos tempos – Mau criterio na convocação – Mania dos “medalhões” – Inteferencia perniciosa – Volupia de superioridade – Ncompetencia – Asa negra, mandinga e pe’ de coelho – Mal necessario Com a vitoria do Uruguai, encerrou-se a disputa do IV Campeonato Mundial de Futebol. Virou-se a ultima pagina do vigoroso drama que sacudiu a alma dos brasileiros e agora, passados os primeiros instantes de magua e decepção, podemos analisar, friamente, as causas que determinaram a dolorosa tragédia do futebol brasileiro. Não temos o proposito de desmerecer o triunfo uruguaio, que foi legitimo e indiscutível. Tão pouco move-nos o desejo de ferir este ou aquele. Visamos, antes de tudo, apontar os erros que presidiram os preparativos e a orientação do nosso quadro, e nisso não fazemos mais do que repetir os gritos de alerta que, patrioticamente, não nos cansamos de repetir enquanto havia tempo para reparos 

Em despretensioso retrospecto, apontaremos os dez erros que culminaram com a derrota do Brasil na Copa do Mundo. Dez erros que abalaram os alicerces do nosso futebol, reduzindo a pó as mais lidimas esperanças e abrindo, na alma nacional, feridas que jamais fecharão. Verá o leitor, frequentemente, o nome de Flavio Costa. Perdoe-nos por isso. Ele hoje é uma figura morta, e não desejamos ser seu coveiro. Ao menciona-lo vemo-lo apenas como instrumento da C. B. D., como um sinal dos tempos que felizmente já passaram


 DEZ ERROS CAPITAIS 
VIDEO 2
 Passamos, agora, à enumeração dos erros capitais: 
 1 – MAU CRITERIO NA CONVOCAÇÃO – Armado com a espada de dois gumes do absolutismo, Flavio Costa adotou mau critério na convocação dos jogadores, sem que a ninguem fosse dado discordar. Houve um desportista que pretendeu levantar sua voz contra erros gravíssimos, como a manutenção de Alfredo e dispensa de Pinga, mas foi logo taxado de derrotista, quinta-coluna e outros adjetivos desse genero, com que logo reagiam os amigos da onça do futebol nacional. Prestigiado, o técnico prosseguiu nos erros, dando preferencia a valores que haviam fracassado no sul-americano. Jogadores gastos, que jamais souberam verdadeiramente ganhar a ultima batalha, exceto no continental, nas circunstancias que todos sabem: com o Uruguai com uma equipe de amadores, a Argentina ausente e os demais concorrentes enfraquecidos. 
 2 – TEMPO PERDIDO NA CONCENTRAÇÃO: Outro erro que combatemos, desde o inicio, foi o tempo perdido na concentração, com passeios e distrações, quando o quadro precisava treinar assiduamente para consolidar-se. Deviamos ter procurado adextra-lo, fazendo-o jogar contra adversários duros, para evitar o desnivelamento de produção, como aconteceu. Fizemos uma campanha irregular e para culminar, passamos de uma vitoria de 6 a 1 a uma derrota.
logo