ZH

 

Zero Hora

Últimas notícias

Carregando...

/

ESPORTE PARA TODOS!

 

OUÇA - A VIDA DE WILSON SILVA

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Ministro diz que atentado na Turquia ‘acende luz amarela’ antes do Rio-2016

Uma das principais preocupações para  o e vento no Rio de Janeiro é a segurança de pontos turísticos e aeroporto. | Rogério Santana/GERJ
O atentado terrorista ocorrido no aeroporto de Istambul, na Turquia, na terça-feira (28), acendeu “a luz amarela” no Brasil, disse nesta quarta (29) o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella. A segurança em espaços públicos, principalmente nos aeroportos, será reforçada durante os Jogos Olímpicos, em agosto, anunciou ele.
“É claro que o que aconteceu (em Istambul) é um alerta. O ministério está se reunindo (com outros ministérios) para reforçar a necessidade de um olhar especial para essas áreas (aeroportos)”, disse Quintella.
Por causa do atentado, o número de policiais nas ruas durante os Jogos deve ser ainda maior do que o previsto, de acordo com o ministro, que afirmou ter pedido ao Ministério da Justiça um novo plano de segurança para o evento.
“Medidas confidenciais estão sendo tomadas a partir de agora”, afirmou o diretor do departamento de Gestão Aeroportuária da Secretaria de Aviação Civil, Paulo Henrique Possas. Com o ministro, ele participou do lançamento do Manual de Planejamento do Setor de Aviação Civil para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016.
Publicidade
A decisão sobre ações tomadas será do Ministério da Justiça. Quintella adiantou, porém, que não há previsão de uso de aparelhos de raios X nas áreas públicas dos aeroportos. “Quando aconteceu o que aconteceu (em Istambul), acende a luz amarela. Precisamos de mais fiscalização e inteligência para as áreas públicas”, disse.
Além de ataques terroristas, o acesso ao Aeroporto Internacional Tom Jobim (Ilha do Governador, zona norte) preocupa o governo. “Chefes de Estado passarão por ali. Não podemos correr risco”, afirmou Quintella, que demonstrou preocupação com paralisações do tráfego na Linha Vermelha, via expressa na zona norte onde foi assassinada a médica Gisele Palhares, no último sábado.
Resultado de imagem para gazeta do povo