Pular para o conteúdo principal

Brasileiros minimizam cortes na Seleção e valorizam força da equipe

A Seleção Brasileira que se prepara para a Copa América Centenário, nos Estados Unidos, vem sofrendo com os cortes no elenco inicial convocado por Dunga. 
Até agora, foram seis: Ricardo Oliveira, Douglas Costa, Rafinha, Ederson, Kaká e Luiz Gustavo. Apesar dos desfalques, os brasileiros preferem não lamentar, e sim exaltar a força da equipe e dos novos atletas que vêm chegando.
“São sempre grandes jogadores que vem para a Seleção. Tivemos cortes, lesões, mas os jogadores que estão chegando são de muita qualidade. Estamos trabalhando para entrosar. Fora de campo o grupo é unido e isso vai ajudar dentro de campo”, falou Philippe Coutinho em entrevista coletiva nesta quinta-feira, após treinamento da equipe verde-amarela na Universidade da Califórnia (UCLA).
O craque do Liverpool minimizou a grande quantidade de lesões, especialmente aqueles que atuam na Europa. Afinal, o Velho Continente vive período de pós-temporada.
“A gente que joga futebol está sujeito a esse tipo de coisa. Estamos no fim de temporada na Europa, e isso é normal. Está todo mundo preparado e focado, nosso objetivo é brigar pelo título”, disse Coutinho, titular do meio-campo da Seleção.
Quem também concedeu entrevista coletiva nesta quinta foi o lateral Douglas Santos. O jogador do Atlético-MG manteve o discurso de Philippe Coutinho, se disse tranquilo com a situação da equipe brasileira mesmo com os problemas e exaltou a força do time de Dunga.
“Fico tranquilo. É um caso difícil de conviver, que é uma lesão. Ficamos tristes quando alguém se machuca. Mas temos um bom elenco e os que estão vindo vão suprir a falta dos que vão sair”, comentou.
O último jogador a ser cortado da Seleção foi o volante Luiz Gustavo, nesta quinta, por problemas particulares. Para o seu lugar, Dunga chamou Walace, do Grêmio, que esteve em campo na derrota de sua equipe para o Palmeiras e chegará aos Estados Unidos no sábado. Paulo Henrique Ganso, que foi chamado para o lugar de Kaká, cortado por lesão, junta-se ao elenco brasileiro nesta sexta pela manhã.
O Brasil estreia na Copa América Centenário neste sábado, às 23h (de Brasília), contra o Equador, no Rose Bowl, em Pasadena.

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.