Pular para o conteúdo principal

BAND : Cabañas frentista é destaque de rival do Santos


1,78m, 95 kg e artilheiro. Não, não estamos falando do atacante Walter, do Atlético-PR. 
Aos 31 anos, Tonho Cabañas é a grande esperança do Galvez, pequeno clube do Acre, para surpreender o Santos nesta quarta-feira, no primeiro jogo da segunda fase da Copa do Brasil.

Com 11 gols em 12 jogos no Estadual, o Cabañas do Acre concilia a vida de jogador com outra profissão. De segunda a sábado, das 06h às 12h, Antonio Silva do Nascimento deixa de lado as chuteiras e coloca o uniforme de frentista para trabalhar em um posto de gasolina, localizado a 10 km de sua casa, na cidade de Rio Branco.

“É uma forma de aumentar a minha renda. Como os clubes aqui normalmente não têm uma agenda anual, só jogam no primeiro semestre, eu preciso ter outro trabalho. Se eu ficasse só com o futebol, teria dor de cabeça. Preciso trabalhar nos dois”, disse ao Portal da Band. O aumento é considerável. Há dez anos como frentista, Tonho recebe em torno de R$ 1,3 mil por mês no posto de gasolina, enquanto o futebol lhe rende R$ 1,5 mil mensais.

Não é fácil para o atacante/frentista exercer as duas profissões. Por conta dos jogos, ele não vai ao posto alguns dias. Mas engana-se quem pensa que o trabalho fica desfalcado. “Eu coloco uma pessoa no meu lugar com autorização deles, como amanhã (quarta-feira), que eu estaria trabalhando”, falou ele, que conta com o apoio dos amigos de trabalho. “Eles sempre me ajudaram, até brincam comigo perguntando quando terá jogo e se eu vou fazer gol”.

A fama no futebol gera brincadeiras com pessoas que vão ao local. A maioria já reconhece Cabañas, o matador do Acre. “Aqui estou bastante conhecido, principalmente no posto. Vários clientes chegam e falam: 'olha o Cabañas, artilheiro do campeonato'”, contou.

Depois da primeira parte do dia, Tonho pega sua moto e vai até o Comando Geral da Polícia Militar do Acre, sede do Galvez, onde treina de segunda a sexta-feira, das 13h às 18h. Fundado por militares, o clube tem uma folha salarial de R$ 45 mil por mês. A organização, segundo o atacante, é o ponto forte da administração.

“São bastante pontuais, muito corretos. Prezam pela organização e cada um tem de cumprir com tudo. O salário não atrasa. É tudo certo”.

ApelidoAntonio Silva do Nascimento, o Tonho Cabañas, recebeu o apelido quando jogava futsal. O motivo, claro, foi o sobrepeso. “Começaram a me chamar pelo apelido por causa do porte físico. Toda hora me chamavam de Cabañas e pegou. Ainda bem que deu sorte (risos). Não me incomodo nenhum pouco, até me acostumei”, disse ele, que exaltou o paraguaio. “Apesar de estar fora de forma, ele decidia os jogos. Eu gostava muito dele. Era bastante decisivo”.

O jogador não faz questão de negar que é bom de garfo. Entretanto, ele faz questão de ressaltar que vem se cuidando. “Gosto de comer. Quando é para comer, eu como mesmo”, afirmou, aos risos. “Mas não bebo e também não fumo. É só a comida mesmo. Mas agora diminuí um pouco a quantidade, senão eu fico muito grande. Graças a Deus vem dando resultado”, complementou.

Flamenguista desde a infância, o jogador viu Cabañas eliminar o clube do seu coração na Libertadores de 2008. No mesmo ano, o paraguaio ainda fez dois gols no Santos, adversário do Galvez nesta noite. Será que o jogador/frentista fará igual ao xará? “Vamos confiantes para o jogo e se eu tiver uma chance, vou fazer o gol”, concluiu.

Resultado de imagem para BAND

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 já é realidade e as expectativas de medalhas brasileiras são grandes. No nado sincronizado, entretanto, a esperança é de uma quebra de tabu, já que desde que foi incluído no programa olímpico, em Los Angeles 1984, a modalidade nunca viu uma brasileira no pódio. Para que o sonho se torne realidade, a equipe já treinava intensamente no Centro Aquático Maria Lenk, antes mesmo do início da Rio 2016, casa do nado, saltos ornamentais e polo aquático. 

As provas do nado sincronizado começam só no dia 14 de agosto, mas as brasileiras já estão na arena aquática do Rio (as provas de natação acontecerão em outro local) para entrar no clima olímpico e se familiarizar ainda mais com o local. "A gente está "super feliz" por ter vindo mais cedo e já ter começado a sentir o clima dos Jogos. 

Treinávamos aqui, mas agora o clima é diferente. Além de estar mais bonito, brincamos que já tem cheiro de olimpíada. Os países ainda estão começando a chegar. O ambiente …

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

07/08/2016 22:05 A seleção brasileira masculina de hóquei sobre grama disputou o seu segundo compromisso no torneio dos Jogos Olímpicos Rio 2016 neste domingo, 8 de agosto, no Centro Olímpico de Hóquei, no Complexo de Deodoro. Ao enfrentar a forte Bélgica, a seleção brasileira foi derrotada pelo placar de 12 a 0. O Brasil passou a somar duas derrotas em duas partidas, já que perdeu na estreia para a Espanha por 5 a 0. Na próxima rodada, terça-feira, 9 de agosto, os brasileiros voltam a campo para encarar a Grã-Bretanha. Encarando um time muito competitivo, os atletas brasileiros conseguiram manter o jogo equilibrado até o fim do primeiro quarto – de um total de quatro quartos, de 15 minutos cada –, quando a Bélgica marcou seus dois primeiros gols. A partir daí, a equipe brasileira sucumbiu à superioridade belga, ameaçando o gol adversário apenas em lances esporádicos. Com o domínio absoluto da partida, a Bélgica foi ampliando até chegar ao placar final de 12 a 0. "Pela primeira vez …

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)