Pular para o conteúdo principal

A história do brasileiro que foi mestre no xadrez

Em 1977, o terceiro melhor jogador de xadrez do mundo era um brasileiro, atrás apenas do então campeão mundial, Anatoly Karpov da União Soviética, e do vice-campeão, o dissidente Viktor Korchnoi: Henrique da Costa Mecking, o Mequinho. 
Acumulando vitórias em fortíssimos torneios internacionais, ele se tornou um herói nacional e foi apontado como um dos principais candidatos ao título mundial ao longo de toda a década de 70, até que teve sua carreira bruscamente interrompida por um adversário tido como fatal, a miastenia grave, doença neuromuscular que provoca rápida fadiga e degeneração dos músculos voluntários. 

Chegando a ser desenganado pelos médicos, Mequinho se recuperou – e atribui sua cura às preces de uma integrante da Renovação Carismática Católica, como conta em seu livro “Como Jesus Cristo salvou minha vida”, lançado em 1992 e atualmente na sexta edição. Mequinho passou então a dedicar-se integralmente à religião, formando-se em Teologia e ingressando na Renovação Carismática.

CONTEÚDO MÁQUINA DE ESCREVER/G1

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.