ZH

 

Zero Hora

Últimas notícias

Carregando...

/

ESPORTE PARA TODOS!

 

OUÇA - A VIDA DE WILSON SILVA

terça-feira, 12 de abril de 2016

VIDEO - GOAL :Espetacular e decisivo CR7 faz história com a camisa do Real na Liga dos Campeões da Europa

Na vitória contra o Wolfsburg, o português teve a melhor atuação individual do torneio e mostrou que a palavra ‘impossível’ não existe em seu dicionário.
Por Tauan Ambrosio
Até o melhor dos jogadores tem dias ruins. Já aconteceu com Pelé, Garrincha, Maradona, Messi e Cristiano Ronaldo, que não foi bem no primeiro jogo contra o Wolfsburg. Mas quando um craque deste quilate está inspirado, pode fazer o impossível. E esta é uma palavra que não existe no dicionário de CR7. Nesta terça-feira (12), o português teve a melhor atuação individual na Champions League 2015-16 e colocou o Real Madrid nas semifinais pelo sexto ano seguido. Dentro de campo, o camisa 7 ganhou o jogo para os madridistas. Mas eles não estavam sozinhos. 



Ao longo de toda a semana, a torcida vinha sendo encorajada a apoiar incondicionalmente o time. Quando o ônibus dos Blancos chegou ao estádio, os torcedores fizeram uma festa incrível. E seguiram neste ritmo durante os 93 minutos de jogo. drid 3x0 Wolfsburg . Todos se rendem a CR7 Empurrado pelos gritos, o time da capital espanhola começou oferecendo perigo. Seja centralizado ou no lado esquerdo, Benzema era o melhor jogador nos minutos iniciais. Muito mais pelo empenho do que qualquer coisa. O Wolfsburg se encolhia, apostava nas bolas longas, e Cristiano Ronaldo não aparecia tanto. Mas quando resolveu aparecer, ninguém conseguiu parar. Aos 15 minutos, Carvajal avançou pela direita e cruzou rasteiro. 

O passe teve leve desvio no meia Arnold, o suficiente para encontrar o craque que vinha sem marcação na entrada da pequena área. Foi o primeiro de Cristiano Ronaldo, que levou a torcida à loucura. Logo depois, o lance do gol parecia se repetir: Carvajal avançou pela direita e centralizou. Só que desta vez foi pelo alto, CR7 subiu e cabeceou. Desvio na zaga, escanteio. Toni Kroos fez a cobrança, e Cristiano correu para se antecipar à zaga. Era dia de voar alto, e o gajo subiu para cabecear no fundo das redes aos 17’. Em menos de 20 minutos, o Real Madrid igualava o placar do jogo de ida. Não pense que é novidade. No Santiago Bernabéu, a equipe comandada por Zidane já tinha feito 20 gols antes dos 20 minutos de jogo. Contra os “Lobos”, a conta subiu para 22. 

Deste total, o craque português estufou as redes em oito ocasiões. Em seu 125º jogo de Champions, CR7 teve atuação para entrar na história do Real Madrid (Foto: Getty Images) O Wolfsburg sentiu o golpe, mas depois assustaria em chute de Luiz Gustavo, defendido por Keylor Navas, e em grande oportunidade de Bruno Henrique. Animados, talvez, com a qualidade do próprio jogo, os meio-campistas do Real se distraíram, mas o primeiro tempo terminou de maneira excelente. 

 Na segunda etapa, os espanhóis sabiam que o jogo precisava ser resolvido. Se o time alemão fizesse um gol, seriam necessários outros dois para o Real Madrid. Aos 47’, no início da fase complementar, o gajo arriscou um chute, bloqueado pela defesa. Ele estava afim de jogo. Apesar de não ter aparecido com grande destaque, Bale também arriscou seus lances. Um gol com a bola rolando, outro de cabeça e um de falta. Não tem como "cornetar" o português (Foto: Getty Images) Benzema seguia mostrando vontade, mas o físico já não era o mesmo. Na vitória sobre o Eibar, sábado (9), o francês havia deixado o campo lesionado. Aos 64’, o camisa 9 tentou jogada de efeito na ponta-esquerda e conseguiu o escanteio. 

Kroos foi mais uma vez para a cobrança, e Sergio Ramos quase ampliou. A bola foi de encontro à trave e, depois, para as mãos do goleiro adversário. O lance inflamou a torcida, mas também começou a mostrar um certo nervosismo do time vestido de branco. A partida entrava em sua metade final, o que era muito perigoso para o Madrid. Mas aí, Cristiano Ronaldo apareceu para resolver de uma vez por todas. Falta para o Real Madrid. 

O camisa 7, que havia desperdiçado uma cobrança, pega a bola para a batida. Antes, porém, o goleiro Keylor Navas lhe deu um conselho. Na verdade, o costarriquenho apenas encorajou o companheiro de equipe. Cristiano partiu e bateu, a bola passou entre a barreira e morreu no cantinho esquerdo de Benaglio. 

A comemoração foi diferente, não teve o pulo planejado. Teve emoção verdadeira, olhos emocionados olhando para as arquibancadas. CR7 arriscou 5 chutes: 2 foram bloqueados, 3 entraram. Uma noite espetacular Foi o 34º gol do gajo em 36 jogos de mata-mata na Champions com a camisa do Real Madrid, do jogador que balançou as redes em 62 jogos da maior competição de clubes do planeta. Igualou o número de hat-tricks (quando um mesmo jogador faz três gols em uma única partida) de Messi no certame - 5 para cada - e está a um gol de igualar a melhor marca de um artilheiro em uma única edição do torneio, que pertence a ele mesmo (17 gols, em 2013-14). 

 Você pode até não gostar dele, mas Cristiano Ronaldo é decisivo, é espetacular. Com ele em campo, o Real Madrid sempre terá esperanças de vitória.

Conteúdo publicado no site Goal