Pular para o conteúdo principal

Veja quais as melhores contratações do futebol brasileiro até aqui

Balbuena, do Corinthians
A pouco mais de um mês para o início do Brasileirão, veja quais jogadores 'vingaram' no seu clube de coração.



LANCE!
 06/04/2016
 06:50
São Paulo SP


Pouco mais de três meses depois do início do ano, as equipes já estão mais entrosadas, embora ainda estejam em busca do padrão ideal. Mas o período já serviu para mostrar que algumas contratações caíram no gosto da torcida. A pouco mais de um mês para o início do Brasileirão, veja quais jogadores 'vingaram' no seu clube de coração.

Em São Paulo, os que mais se destacam até aqui são os corintianos Balbuena e Giovanni Augusto. O primeiro veio com desconfiança, mas já demonstra potencial para ser titular. O segundo, mostra talento e garra, mesmo que falte entrosamento. 

No Tricolor, imprensa e torcida suspeitavam da motivação de Calleri, mas ele mostra em todos que é o melhor atacante do time, na última terça-feira não foi diferente e abriu o placar contra o Trujillanos. Maicon chegou e assumiu a vaga na defesa, mostra personalidade e raça. 

Da nova leva palmeirense o destaque é Jean, o coringa que começou no meio, mas é o melhor lateral do elenco. O Peixe sabe que pode perder Ricardo Oliveira, mas Joel tem entrado bem e Paulinho parece ter encontrado o bom futebol.

Roger, no Red Bull, e Wellington Paulista, na Ponte Preta, também são destaques do estadual de São Paulo. No Rio de Janeiro, o Flamengo apostou nos gringos e Mancuello vinha bem até se machucar. Cuéllar é outro que de destaca, apesar da campanha mediana do time. No Botafogo, Lizio chegou com desconfiança, mas mostrou que deve ser titular para a sequência do ano.

Em Minas Gerais, Robinho, Hyuri e Cazares mostram que os dirigentes do Galo souberam garimpar e investir em contratações. Ídolo do Peixe, Robinho parece criar novos laços de amor, agora com a torcida atleticana. Do lado da Raposa, o atacante Rafael Silva é o destaque. Contratado junto ao Vasco, o jogador tem feito gols importantes e não se esconde nos momentos decisivos, além de saber provocar os rivais.

No Rio Grande do Sul, Miller Bolaños virou xodó do Imortal, mas a lesão contra o Internacional o tirou dos gramados por um longo período.
Resultado de imagem para lancenet logo

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.