Pular para o conteúdo principal

Copa Bridgestone Libertadores: Nacional e Corinthians empatam 0-0


O uruguaio Nacional e o brasileiro Corinthians empataram 0-0 nesta quarta-feira em 
uma intensa partida de ida pelas oitavas de final da Copa Libertadores 2016.
O resultado acaba sendo um melhor negócio para o time brasileiro, que vai definir a 
chave como local no Arena Corinthians, com apoio da grande torcida.

Ficha técnica:

Nacional - Corinthians 0 - 0
Estádio: Gran Parque Central. Montevidéu
Espectadores: 26.000
Terreno: bom, molhado. Temperatura: 8ºC. Nublado com chuva.
Árbitro: Patricio Lousteau. Linhas: Gustavo Rossi e Ariel Scime (trio argentino).
Admoestados:
Corinthians: Elias (45+1), Felipe (58)
Nacional: Polenta (45+1), Fernández (63), Porras (90)
Equipes:
Nacional: Esteban Conde - Santiago Romero, Mauricio Victorino, Diego Polenta,
Alfonso Espino - Jorge Fucile, Leandro Barcia, Gonzalo Porras, Kevin Ramírez -
Nicolás López, Sebastián Fernández. DT: Gustavo Munúa.
Corinthians: Cássio - Fagner, Felipe, Yago, Uendel - Bruno Henrique, Alan Mineiro (Marlon, 68),
Elías, Rodriguinho - Lucca, André (Angel Romero, 79). DT: Tite.
Início


Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.