Pular para o conteúdo principal

Vasco sofre, mas vence o Botafogo e agora é o único invicto no Carioca


Fogão é superior no clássico, mas perde, fica na bronca com a arbitragem e vê o fim da invencibilidade no Estadual

O DIA
Rio - O Vasco, mais uma vez, deu uma prova de sua consistência. Não foi uma atuação brilhante, é verdade, mas foi suficiente para garantir a invencibilidade no Carioca. O Gigante da Colina bateu o Botafogo, neste domingo, em São Januário: 1 a 0. Agora, é o único invicto no torneio. No geral, não perde desde novembro. É um time cada vez mais sólido.

O Botafogo foi superior no clássico. Porém, faltou acertar a pontaria. Pagou caro, com o fim da invencibilidade no Carioca. O Fogão ficou na bronca com a arbitragem de Rodrigo Nunes de Sá, que ignorou pênalti em Ribamar.  
Dono da melhor campanha e 100% na Taça Guanabara, o líder Vasco tem nove pontos. O Botafogo continua com quatro pontos, na quarta colocação. 
O Vasco tem mais um clássico pela frente na próxima rodada da Taça Guanabara e vai enfrentar o Flamengo, quarta-feira, às 21h45, no Mané Garrincha, em Brasília. O Botafogo também entra em campo na quarta e encara o Volta Redonda, às 19h30, em São Januário.

O jogo

O Botafogo até foi superior no primeiro tempo, mais presente no campo de ataque e com número maior de finalizações - chutou 11 vezes ao gol. Porém, o Vasco deu o bote. O talento de Nenê fez a diferença. Um toque de classe do meia-atacante deixou Thalles na boa. O atacante avançou e chutou no canto direito de Jefferson: 1 a 0. A rigor, foi a única chance do Gigante da Colina.
Nem mesmo o gol abalou o Botafogo. O Fogão ficou na bronca com a arbitragem de Rodrigo Nunes de Sá. Rodrigo, antes de tocar na bola, derrubou Ribamar na área. O juiz não deu pênalti, marcando apenas o escanteio. O Alvinegro buscava os chutes de longe, mas a pontaria estava descalibrada. A cabeçada de Diego quase surpreendeu Jordi e levou perigo.
No fim do primeiro tempo, o Botafogo até que acertou o alvo. Ribamar, após cruzamento de Gegê, balançou a rede, mas a arbitragem anulou o gol corretamente. O atacante estava impedido.
O Botafogo conseguiu manter o ritmo no segundo tempo. Jordi precisou abafar Salgueiro e Ribamar para salvar o Vasco. Depois, o goleiro viu a cabeçada de Emerson Santos explodir no travessão. O Vasco respondeu com duas tentativas de fora da área. Porém, Nenê e Andrezinho erraram o alvo.
Ricardo Gomes fez a primeira mudança. Neilton entrou no lugar de Gegê. Depois, Emerson Santos sentiu um problema muscular e deu lugar a Renan Fonseca. Jorginho "respondeu". Bruno Gallo e Caio Monteiro entraram. Julio dos Santos e Jorge Henrique saíram.
O empate do Botafogo quase aconteceu com Bruno Silva. Ele ganhou pelo alto, mas desviou para fora. Ricardo Gomes lançou o time ao ataque com Gervásio Núñez no lugar de Rodrigo Lindoso. O Vasco buscava o contra-ataque. Quando conseguiu encaixar, Andrezinho parou em Jefferson. O Gigante da Colina segurou o resultado e continua invicto.
FICHA TÉCNICA

VASCO 1X0 BOTAFOGO

Estádio: São Januário
Público e renda: 6.483 pagantes / 7.314 presentes / R$ 232.590,00
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá
Gol: Thalles (Vasco. aos 24' do 1ºT)
Cartão amarelo: Rodrigo, Julio dos Santos, Jorge Henrique, Thalles e Jordi (Vasco) e Airton e Diego (Botafogo)
Cartão vermelho:

VASCO: Jordi; Madson (Pikachu, aos 39' do 2ºT), Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos (Bruno Gallo, aos 24' do 2ºT) e Andrezinho; Nenê, Jorge Henrique (Caio Monteiro, aos 24' do 2ºT) e Thalles. Técnico: Jorginho.
BOTAFOGO: Jefferson; Diego, Joel Carli, Emerson Santos (Renan Fonseca, aos 17' do 2ºT) e Diogo Barbosa; Rodrigo Lindoso (Gervásio Núñez, aos 31' do 2ºT), Bruno Silva, Airton e Gegê (Neilton, aos 15' do 2ºT); Salgueiro e Ribamar; Técnico: Ricardo Gomes.
Resultado de imagem para o dia png

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.