Pular para o conteúdo principal

Brincadeirinha : Água com sonífero é confirmada por argentinos em partida contra o Brasil na Copa de 1990



Há dez anos atrás Diego Maradona confirmou mesmo que deram água com sonífero para o lateral Branco no jogo das oitavas-de-final da Copa de 1990 entre Brasil e Argentina. "Branco não me cumprimentou mais" depois de beber daquela garrafa, disse Maradona no programa de televisão Mar de Fondo, do canal a cabo ;TyC Sports, de Buenos Aires. Maradona contou o caso em 16 de dezembro de 2004 no mesmo programa. 

Pouco depois, vários jogadores da seleção negaram a denuncia, exceto Jose Basualdo, que confirmou as declarações de Maradona e disse que Bilardo "É capaz de fazer coisas inusitas". Bilardo comentou após as primeiras declarações de Maradona que "algo ocorreu" durante esse jogo entre Argentina e Brasil, mas não informou o que. No entanto, Maradona voltou a comentar o assunto . "Eu não desminto nada. Não menti em nada. Eu fico com Basualdo, os outros que banquem os idiotas", disse Maradona no programa de televisão. 

O ex-jogador afirmou que jamais ofereceu água a Branco e opinou que o ex-jogador não deveria continuar falando sobre o assunto "porque a cada dia fica mais chato". Basualdo contou ao semanário argentino, em fevereiro de 2005, que "a história foi essa mesma". "Nós percebemos no momento, quando vamos beber água. Na hora em que um jogador se contundiu nos aproximamos e Miguel Di Lorenzo, o massagista argentino se encarregou de nos dar as garrafas", lembrou Basualdo. "Foi a aí que nos demos conta que tinham jogado uma substancia na água e Branco foi o encarregado de levar a garrafa. Justo ele, que cobrava as faltas", acrescentou. Depois desta declaração, Bilardo ameaçou  divulgar um video de Basualdo traindo sua mulher, em 1996. "Isso poderia acabar com a minha carreira", diz Branco.

 O ex-jogador Branco afirmou e a "brincadeirinha" da água com sonífero, da qual foi vitima durante a vitória por 1 a 0 da Argentina sobre o Brasil, pelas oitavas-de-final da Copa de 90, podia ter acabado com sua carreira esportiva. "Imagina se depois desse jogo me convocam para um exame antidoping? O que teria sido de mim? Como teria explicado a presença dessa substância em meu organismo?", perguntou o ex-jogador em entrevista a Agência EFE. 
O lateral-esquerdo, que disputou os Mundiais de 1990 e 1994 pela Seleção Brasileira, reiterou estar incomodado com o ocorrido na cidade italiana de Turim, episódio que hoje Maradona voltou a tratar com ironia. O brasileiro voltou a dizer que devem ser aplicadas puniçõees exemplares para os responsáveis por esta brincadeira, a começar pelo técnico argentino na época, Carlos Bilardo.
Resultado de imagem para terra esporte

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.