Pular para o conteúdo principal

Vitor Hugo e Gabriel Jesus lamentam empate, mas ressaltam dedicação da equipe

ATUAÇÃO

Fazendo sua primeira partida na Copa Libertadores 2016, o Palmeiras ficou no empate por 2 a 2 diante do River Plate-URU, fora de casa. Após o confronto, Vitor Hugo e Gabriel Jesus comentaram a atuação da equipe e já projetaram os próximos duelos da competição continental. "Deu para sentir um pouco o que é o campeonato. Nosso time pegou bem forte, mas o campo atrapalhou demais, o gramado estava prendendo. Apesar disso, deu para ter uma ideia do que é o torneio. 

E precisamos nos preparar porque todos os jogos vão tão difíceis quanto esse", ressaltou o zagueiro, que disputou seu primeiro jogo de Libertadores na carreira. Também estreante na Copa, Gabriel Jesus ressaltou o bom rendimento do Palmeiras, apesar do empate. "Foi um jogo em que nós tivemos o controle. Se for ver, a posse de bola foi toda a nosso favor. Infelizmente, no final, deixamos cair e tomamos dois gols que precisam ser corrigidos. Mas a equipe está de parabéns pela estreia e dedicação de todos. Não é fácil jogar fora do país com um time tão empenhado. 

Deixamos escapar a vitória, mas vamos voltar para o Brasil e focar no clássico de sábado", declarou o atacante, que foi eleito o destaque da partida pela patrocinadora do torneio. Autor do segundo gol palmeirense na partida, Jesus ainda falou sobre entrar no decorrer da partida. "O Marcelo [Oliveira] é um excelente treinador e uma bela pessoa. É a mesma situação do ano passado. Quando eu ganhei a vaga de titular, o Rafa [Marques] compreendeu muito bem, treinou firme. 

O Rafa é um ótimo jogador de grupo, assim como o Erik. Eu estou tranquilo, sou bastante focado e quero voltar a fazer bons jogos", afirmou. Gabriel ainda comentou o fato de usar a camisa 12, eternizada por Marcos, na Libertadores. "Respeito muito o Marcos, pela pessoa que é e pela história que fez, não só com a camisa do Palmeiras, mas também pela seleção. Foi um grande jogador e profissional. Fiquei muito feliz pela camisa, mas eu tenho que honrá-la dentro de campo e, quem sabe, conquistar essa Libertadores para ele", finalizou o atleta palestrino. O Palmeiras volta a campo no sábado (20), às 17h, no Allianz Parque, diante do Santos, pelo Campeonato Paulista. No torneio continental, o próximo duelo é com o Rosario Central-ARG, dia 02 de março, às 21h45, também na casa palmeirense.
Palmeiras

João Abel
Departamento de Comunicação
17/02/2016 - 00:10h

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.