Fisioterapia - O que é pilates?

Todo mundo já sabe o quanto é importante para a saúde a prática de exercícios físicos, porém não são todas as pessoas que apreciam a prática de caminhada ou corrida e as atividades realizadas em academia. Atualmente, uma das alternativas para essas pessoas é o Pilates. 

Esse método de condicionamento físico e mental foi criado pelo alemão Joseph Pilates (1880-1967) e, mesmo com exercícios aparentemente suaves, os movimentos realizados no Pilates proporciona o alongamento e a fortificação do corpo de forma integrada e individualizada, além de melhorar da respiração, diminuir o stress, desenvolver consciência e equilíbrio corporal, melhorar a coordenação motora e a mobilidade articular e proporcionar relaxamento. Outra proposta do Pilates é oferecer uma nova maneira de seus praticantes se relacionarem com o mundo. 

 Os exercícios de baixo impacto e de poucas repetições proporcionam resultados eficazes e, ao mesmo tempo, menos desgaste das articulações e dos músculos, tornando-o praticável por atletas profissionais a pessoas sedentárias. Realizados com precisão, os movimentos do método podem ser feitos por pessoas de todas as idades, inclusive as que sofrem de problemas ósseos e musculares ou até de dores crônicas. Em casos como esses, é importante que o trabalho seja conduzido por um fisioterapeuta. Dessa forma, ele transmite a mensagem “independentemente da situação em que esteja, você pode e deve se mexer”.Um dos diferenciais do Pilates está na sua versatilidade e na variedade de movimentos. 

Ao perceber melhoras em suas saúde física e mental, o aluno tem sua autoestima elevada. O controle da respiração, por exemplo, permite ao praticante controlar sua ansiedade. Outra função muito apreciada é a de pós-tratamento de coluna, pois trabalha também com o fortalecimento da musculatura estabilizadora da coluna. Além disso, a modalidade também serve de escudo contra o estresse e a fadiga. Por poder ser executado de infinitas maneiras, é importante que todo praticante de Pilates seja acompanhando por profissionais especializados, que consigam avaliá-lo fisicamente. Esses orientadores também precisam dedicar muita atenção, além de conhecer os limites e as necessidades dos pacientes, por isso, o número de praticantes por profissional não deve ultrapassar dois por aula. As aulas devem ser de duas a três vezes por semana.

 Na hora de escolher o Pilates, informe-se se o profissional é da área da fisioterapia ou da educação física. Essa escolha deve ser feita de acordo com o objetivo do aluno. O fisioterapeuta tem o conhecimento necessário para tratar o paciente, enquanto o profissional de educação física, prepara o condicionamento físico.