Delegações não vão desistir das Olimpíadas por avanço do Zika, diz chanceler

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Apesar da preocupação global com o avanço dos casos de Zika, o Brasil tem sido pouco demandado por outros países sobre o surto da doença, segundo o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, que garantiu que não haverá desistência de delegações nos Jogos Olímpicos deste ano por conta do Zika.
Logo que os casos vieram à tona, alguns atletas e dirigentes de delegações que virão aos Jogos no Rio de Janeiro manifestaram preocupação com o Zika que, no caso de mulheres grávidas, pode causar uma má-formação cerebral nos bebês conhecida como microcefalia.
“Ninguém vai desistir. Não haverá desistências e não há preocupação alguma”, garantiu o chanceler a jornalistas. “Todas as medidas implementadas darão e produzirão resultados muito positivos e os Jogos Olímpicos se realizarão no Rio de Janeiro com certeza absoluta”, acrescentou o ministro em evento do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), no Rio.
Os Estado Unidos prometeram auxiliar os países no combate à doença e em investimentos para produzir uma vacina contra o Zika, e o governo brasileiro deu início no último sábado a uma campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, que além da Zika transmite a dengue e a chikungunya. As Forças Armadas foram convocadas para ajudar na detecção e eliminação dos focos do mosquito.
“O governo tem respondido atentamente as necessidades e dado informações amplamente coordenadas pelo Ministério da Saúde com vistas a interrupção da cadeia de reprodução do vírus no Brasil”, disse Vieira.
“Inclusive , tem manifestado disposição em cooperar com outros países nessas iniciativas e na pesquisa de uma vacina, que tardará algum tempo... demorará um pouco e não é instantâneo.”
Os casos suspeitos de microcefalia no país somaram 3.852, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na última sexta-feira. A pasta informou ainda que 462 casos de microcefalia já foram confirmados e que, desse total, 41 têm relação com o Zika.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência internacional pelo Zika em 1º de fevereiro, citando forte suspeita de relação entre o vírus em grávidas de bebês com microcefalia.
Reuters Brasil
(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)
 

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"