Pular para o conteúdo principal

VIDEO : Wendell Lira e seu golaço


Após lançamento de Da Matta, atacante Wendell Lira, do Goianésia, dá uma meia-bicicleta e marca um golaço no Serra Dourada. O brasileiro Wendell Lira surpreendeu e venceu o prêmio Puskás, que elege o gol mais bonito marcado no ano de 2015, com 46,7% dos votos. O atacante, de 27 anos, desbancou Lionel Messi, do Barcelona, com 33,3%, e Alessandro Florenzi, da Roma, com 7,1%, e, nesta segunda-feira, recebeu o troféu em cerimônia da Fifa realizada em Zurique, na Suíça. 

 O belo gol foi marcado no dia 11 de março, quando Wendell ainda defendia o Goianésia, em partida contra o Atlético-GO válida pela nona rodada da primeira fase do Campeonato Estadual. A jogada foi iniciada por Nonato, que tabelou com Da Matta. Ele tocou por cobertura para Lira colocar dentro das redes, quase de bicicleta. “É uma honra estar aqui e conhecer os jogadores famosos com os quais eu jogava no videogame. Quero agradecer à minha família e à nação brasileira que votou em mim. Minha mulher e minha filha são tudo na minha vida”, afirmou o atacante, que ainda citou a história bíblica de Davi e Golias.

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.