Pular para o conteúdo principal

Novo atacante do Cianorte FC está confiante no sucesso do clube na Divisão de Acesso 2016


Tive a grata oportunidade de conhecer pessoalmente o atacante Valdo “Gigante”  que já está integrado ao grupo de atletas do Cianorte FC  que se prepara para a temporada 2016.  
O  atleta de 1,94cm, de 35 anos, possui um vasto currículo pelo futebol brasileiro e internacional. Pelo Brasil, Valdo passou por clubes como Palmeiras, Rio Branco-SP, Pelotas-RS, Nova Iguaçu-RJ, Moto Club-MA, Atlético Sorocaba-SP, Campinense-PB e Velo Clube-SP. Mas seu maior sucesso na carreira foi no futebol do exterior, onde atuou por sete anos. Lá fora, Valdo defendeu os seguintes clubes: Hangzhou Greentown-CHI, CS Hammam-Lif-TUR, Beijing Guoan-CHI, Shonan Bellmare-JAP, Liaoning Hongyun-CHI e Chengdu Blades-CHI.

" - As pessoas pensam que, por conta da minha estatura, eu jogo mais como referencia." 


Mas não é isso. Eu me movimento bastante, posso jogar pelos lados e dar dinâmica. Tudo em prol do clube.- afirmou “Gigante”. O  jogador está confiante no desafio que o clube leonense terá pela frente que é retornar à elite do futebol paranaense

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.