Pular para o conteúdo principal

UOL : Africanos dominam a São Silvestre mais uma vez e aumentam jejum do Brasil

Mais uma vez os africanos foram o grande destaque da Corrida de São Silvestre e não deram chances aos brasileiros, aumentando ainda mais o jejum do país na tradicional prova de rua.
Na 91ª edição da prova, disputada na manhã desta quinta-feira, o triunfo na prova masculina ficou com Stanley Biwott, do Quênia. No feminino, o triunfo foi de Yimer Wude Ayalew , da Etiópia. Com isso, já se completam cinco edições sem vitórias do Brasil entre os homens e nove entre as mulheres.
A vitória de Ayalew, com o tempo de 54m01, foi a sua terceira na São Silvestre. Campeã do ano passado, ela também havia ficado com o primeiro lugar em 2008. A melhor brasileira na prova foi Sueli Pereira, que acabou na quarta colocação, com o tempo de 54m15. Logo na sequência, chegou Joziane Cardoso, com 54m22.

Apesar de não terem conseguido acabar com o jejum que dura desde 2006, as duas atletas do Brasil brigaram até o último quilômetro pela vitória e só ficaram para trás no fim da subida da Brigadeiro, ponto mais crítico da prova.

"A prova estava muito fraca no começo e tentei ir com as quenianas até o final. Nunca tinha subido no pódio da São Silvestre. Para mim foi muito emocionante. Quem sabe não consigo a vitória no ano que vem", disse à Rede Globo.
Conquistar o terceiro triunfo não foi fácil para Ayalew, que só conseguiu assumir a ponta nos últimos metros e chegou à frente da queniana Delvine Meringor com apenas dois segundos de vantagem.
A corrida masculina teve um fim para lá de acirrado, com indefinição também até os metros finais. Mas Stanley Biwott, campeão da Maratona de Nova York neste ano, só prevaleceu sobre o etíope Leul Aleme no sprint final. Ele completou os 15 quilômetros em 44m31, contra 44m34 do adversário.
O melhor brasileiro foi Giovani dos Santos, que acabou na quinta colocação ao cruzar a linha de chegada com a marca de 44m58.

"A emoção é muito grande, a São Silvestre é para poucos. Subir no pódio é bom, estou feliz com o que consegui", afirmou em entrevista à Rede Globo.

Protestos contra Dilma
Em um ano de muita instabilidade política e diversas manifestações pedindo a saída da presidente Dilma Rousseff, os participantes da São Silvestre também aproveitaram para protestar. Foram levadas bexigas a favor do impeachment, máscaras satíricas e até bonecos do ex-presidente Lula vestido de presidiário. Houve também manifestações contra a tragédia em Mariana (MG) e contra o aumento dos casos de dengue no país.
Confira o resultado final:

Masculino
1º- Stanley Biwott (QUE) - 44m31
2º - Leul Aleme (ETI) - 44m34
3º - Feyisa Gemechu (ETI) - 44m38
4º - Edwin Kipsang (QUE) - 44m41
5º-  Giovani dos Santos (BRA) - 44m58
Feminino
1º - Yimer Ayalew (ETI) - 54m01
2º - Delvine Meringor (QUE) - 54m03
3º - Failuna Matanga (TAN) - 54m11
4º - Sueli Pereira (BRA) - 54m15
5º - Joziane Cardoso (BRA) - 54m22
Resultado de imagem para uol logo

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.