Pular para o conteúdo principal

Torcedores aprovam conforto das novas arenas

O Campeonato Brasileiro de 2015 foi a primeira competição nacional disputada desde o início com as novas arenas construídas para a Copa do Mundo. Os números comprovam que a modernidade dos novos estádios caíram no gosto dos torcedores, que aceitam até pagar mais para ter conforto enquanto assistem às partidas. 

Um estudo feito pela BDO e divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que nunca o torcedor foi tanto ao estádio e gastou para ver seu time de coração. Além disso, a tese de que estão elitizando o futebol nacional, pelo menos na frieza dos números, não se comprova. 

 Os ingressos para os jogos do Campeonato Brasileiro foram, de fato, os mais caros da história da competição. Houve um aumento de 7% em relação ao ano passado e a média foi de R$ 37,06 por bilhete. Essa elevação do valor se dá muito pela precificação dos bilhetes nas novas arenas
Resultado de imagem para R7 LOGO

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

O time do Alto da Bica - A foto que virou saudade

O time do Alto da Bica surgiu, consultando minha memória, ali pelos anos 90 e pouco, coincidindo com o início da era Parmalat. Isso talvez explique os meninos - que acompanham os craques - tão bem vestidos. A sede fica na margem da rodovia Cianorte – São Tomé, logo após o ribeirão São Tomé, num trecho conhecido como Bica, por isso o nome: Alto da Bica.

Frequentado por cianortenses ilustres congrega em sua maioria os palmeirenses - também consultando minha memória, e o Avanti -. Nesta foto, em 98, vemos o elenco pronto para mais uma vitória; vou fazer a escalação e pedir mil perdões se errar o nome de alguém, pois embora conhecendo pela fisionomia posso me confundir na denominação. De pé, da esquerda para a direita: Miguel Deneka, Flávio Vieira, Cometa, Gaúcho, Jácomo e Zezé; agachados, na mesma ordem: Antônio Rogério, Maurício, Nilo, Deíca e Spagola...

Por Marco Antônio de Paula Franco