Pular para o conteúdo principal

SPFC Rodrigo de promessa à realidade!

4445.jpg
O site oficial do São Paulo iniciou n quarta-feira (16) uma série de matérias sobre a temporada 2015 de cada jogador do elenco. E o personagem que abriu o especial de fim de ano foi o jovem Rodrigo Caio. Revelado no Centro de Formação de Atletas Laudo Natel, em Cotia, o defensor integra o elenco profissional do Tricolor desde 2011. Cada vez mais firme e contando com a confiança do torcedor, o camisa 3 mostrou em 2015 que reúne todas as condições para ser um dos líderes do time principal em 2016 apesar da pouca idade.
Se a temporada 2015 não foi a sua mais efetiva - atuou em 36 partidas, contra 63 de 2013 -, o ano mostrou que o marcador ganhou um espaço na zaga. Rodrigo começou 2015 com a reta final de sua recuperação após passar por cirurgia em 2014. Após readquirir a forma física ideal e, pouco a pouco, recuperar o ritmo de jogo, o jogador só foi reconquistar a titularidade no segundo semestre. Neste período, ainda esteve envolvido em uma negociação com o futebol europeu, mas retornou ao São Paulo e deu sequência ao trabalho.
"Foi um começo de ano difícil, porque estava me recuperando da lesão, mas dei a volta por cima e me recuperei bem. Consegui jogar novamente em algo nível, porque este era o meu objetivo e alcancei algumas metas pessoais, como a Seleção Olímpica Brasileira. Fiz bons jogos pelo São Paulo, tive uma sequência e recuperei o meu espaço. Coletivamente, conseguimos a vaga na Libertadores, e isso foi muito importante", avaliou o atleta.
As seguras e boas exibições no Tricolor renderam ao camisa 3 uma série de oportunidades na Seleção Olímpica Brasileira, que se prepara para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Em algumas oportunidades, o defensor são-paulino foi o dono da braçadeira e exerceu o seu espírito de liderança para ser capitão. Assim, durante a temporada, deu um importante passo para realizar o sonho de disputar a maior competição multiesportiva do planeta.
"Estou focado no projeto olímpico. Consegui ter uma sequência de convocações na seleção, mas sei que é importante fazer bons jogos pelo clube. Espero que 2016 seja totalmente diferente para a nossa equipe, e que a gente consiga brigar por títulos. O São Paulo é grande e, por isso, não pode terminar uma temporada sem conquistas. Com espírito de luta e toda a equipe competindo junta, temos tudo para fazer com que o próximo ano seja melhor", finalizou.

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.