Neneca relembra conquista do primeiro título nacional da história do Botafogo


Neneca foi um dos destaques do Botafogo na conquista do Campeonato Brasileiro da Série D

Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo

Na temporada 2015, o Botafogo conquistou o Campeonato Brasileiro da Série D, o primeiro título nacional de sua história. Após viver alguns momentos de altos e baixos, o clube de Ribeirão Preto se reestruturou e passou a figurar na divisão de elite do Campeonato Paulista e com isso passou a ter presença frequente nos torneios nacionais. Em 2015 veio a concretização do trabalho e sob o comando de Marcelo Veiga, o Botafogo foi campeão e volta para a Série C do Campeonato Brasileiro, após 12 anos.

O Botafogo havia sido vice-campeão de torneios nacionais em outras duas oportunidades. Em 1996, a equipe de Ribeirão Preto foi derrotada pelo Vila Nova (GO) e ficou com o vice-campeonato do Campeonato Brasileiro da Série C. Já em 1998, o tricolor do interior chegou na fase final da Série B, mas no quadrangular final terminou com um ponto atrás do campeão, o Gama (DF).

No Campeonato Brasileiro da Série D, o Botafogo começou oscilante e terminou a primeira fase do torneio como uma das piores campanhas entre os 16  classificados. O clube de Ribeirão Preto terminou na segunda colocação do Grupo A6, com 13 pontos. O líder do grupo foi o Crac (GO). O time goiano seria o adversário do Botafogo nas oitavas de finais.
Foto: Fernando Caliman/FPF
Sempre decidindo fora de casa, o Botafogo fez valer o mando de campo e sempre contando com grande apoio do torcedor, foi eliminando seus rivais - Crac (GO), São Caetano, Remo (PA) - até chegar à grande final do Campeonato Brasileiro da Série D, diante do Ríver do Piauí.

Na decisão diante dos piauienses, o Botafogo venceu a primeira partida em Ribeirão Preto, pelo placar de 3 a 2, com três gols de Francis, artilheiro do clube no torneio e bastava um empate para sagrar-se campeão. No jogo da volta, o goleiro Neneca foi o herói e evitou que suas redes fossem balançadas e todo elenco colocou seu nome de vez na história do Botafogo. O clube volta a disputar a Série C do Campeonato Brasileiro após 12 anos.

O goleiro Neneca e vice-presidente de futebol do Botafogo falaram sobre a conquista.

Confira!
NenecaUm dos destaques do Botafogo, o goleiro Neneca falou da lembrança do título. “O que vem na minha lembrança é desde o dia que me apresentei. Existia uma pressão, uma necessidade de conquista, de um acesso e nós soubemos lidar com essa pressão”, comentou.

Sendo um dos destaques com grandes defesas, Neneca falou do reconhecimento da torcida. “É muito gratificante poder ajudar o clube a conquistar os seus objetivos, mas o melhor de tudo é ver a torcida feliz e ter um carinho por mim. Dinheiro nenhum no mundo paga isso”, comemorou.
Foto: Fernando Caliman/FPF
Neneca elogiou toda estrutura do Botafogo e afirmou que a união do grupo foi o fator primordial para o clube conquistar o título. “Resumo na união. Na união do grupo, da diretoria e da torcida. Dentro do elenco, todos assimilaram bem respeitar o companheiro, estando jogando ou não era em busca de um único objetivo. A união foi fundamental na nossa conquista”, concluiu.

Fernando Henrique GelfusoO vice-presidente de futebol do Botafogo, falou da conquista do clube. “Mais importante do que propriamente o titulo foi o acesso para a Série C. Marcou a volta para o cenário nacional e isso representa muito, não só para Ribeirão Preto, mas para toda nossa região e que estava carente de títulos. Agradecemos o apoio da Federação Paulista de Futebol e juntos, conseguimos uma boa jornada e a conquista do título e mais ainda da almejada vaga na Serie C”, comentou.

Gelfuso também falou da importância da conquista, pois com a vaga na Série C, o calendário fica preenchido durante toda a temporada. “Já temos o melhor estadual do país e agora conquistamos uma vaga na Série C, o que proporciona um calendário completo o ano todo com um importante torneio de nível nacional e isso é muito importante para o clube”, explicou.

Na partida final, o Botafogo escalou cinco atletas da categoria de base entre os titulares e Gelfuso falou da importância de ter um bom trabalho nas categorias inferiores. “Foi muito importante ter cinco atletas entre os titulares, pois mostra que o trabalho está na direção certa. Acaba mostrando o comprometimento com a base, com os atletas e que não ficamos apenas na letra do nosso hino que é ‘Grandioso Botafogo, Celeiro de Campeões’”, afirmou.

Com a conquista, Gelfuso falou da lembrança do título que mais te marcou. “São muitas lembranças, mas em especial derrotar o Ríver foi mais que derrotar um time. Foi representar o Estado de São Paulo no cenário nacional”, concluiu.
Resultado de imagem para federação paulista de futebol

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"