Pular para o conteúdo principal

Lancenet : Müller escala Careca, Falcão e Zico em sua seleção dos sonhos

                                 






















Eduardo Lucizano
 18/12/2015
 14:23
São Paulo (SP)
Figura histórica no São Paulo e campeão do mundo em 1994 com a Seleção Brasileira, Müller fez parte de elencos grandiosos do Tricolor, do Palmeiras, e da Seleção Brasileira. Natural de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, o ex-atacante jogou pelos chamados quatro grandes de São Paulo.

Müller escolheu a seleção dos sonhos formada com atletas que

 foram seus companheiros de carreira. Campeões do mundo com o São Paulo e parceiros de Seleção são os destaques da equipe. Darío Pereyra, Falcão, Zico e Careca são alguns dos nomes.

Goleiro: Zetti
- Foi um grande goleiro do São Paulo e decisivo nos títulos da Libertadores e Mundias. Teve uma grande contribuição.

Lateral-direito: Cafu
- Nunca foi destaque tecnicamente, mas tinha força física na lateral. Ele se apresentava, não tinha medo, se arriscava, era regular e fazia gols.

Zagueiro: Válber
- Era baixo para ser zagueiro, mas muito técnico, forte e rápido. Pegava a bola lá atrás e saia tabelando. Era Craque.

Zagueiro: Darío Pereyra 
- Se firmou na zaga, era bom em posicionamento, subia de cabeça e 'tinha mola no pé', tempo de bola perfeito. Colocação respeito.

Lateral-esquerdo: Júnior 
- Elem nunca teve perfil de jogador, fisicamente, mas ele era muito rápido, se apresentava bem e com qualidade. Chegou e na pré-temporada no Palmeiras eu vi que era diferente e ia para a Seleção. Rápido e técnico.

Meia: Falcão
- Um craque, genial. Joguei com ele na Seleção e no São Paulo, um dos poucos que jogava com a cabeça em pé. Um jogador diferente.

Meia: Toninho Cerezo
- Outro monstro. Chegou com 38 anos no São Paulo e foi o melhor da partida no título mundial. A dinâmica de jogo era boa, não tocava para a lateral, sempre foi objetivo, passava na vertical.

Meia: Pita
- Um gênio, sabia o momento certo de tocar, driblar, passar a bola. Tinhas esses três tempos perfeitamente. Um falso lento. Pena que na época dele tinha o Zico.

Meia: Zico
- Chegou perto da perfeição, um dos melhores camisas 10 do mundo, o melhor que vi jogar, tive o privilégio de jogar, mesmo nível de Maradona e Pelé. Ele tinha quatro olhos, sendo um na nuca e outro no pé. 

Atacante - Careca
- Melhor do mundo que vi e joguei, ele era totalmente diferente, completo. Forte, rápido e técnico. Tinhas essas três qualidades e sabia usar bem todas. 

Atacante - Müller
Eu jogava no Torino e o técnico Luigi "Gigi" Radice me disse que eu era um craque, mas não sabia exercer essa função porque eu achava que só tinha velocidade. Aquilo foi tão produtivo que meu futebol só cresceu. Passei a ser muito melhor dentro de campo.
Resultado de imagem para lancenet

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.