Pular para o conteúdo principal

"Dói muito porque a expectativa era muito grande", diz técnico do handebol

O dinamarquês Morten Soubak sofreu junto com suas jogadoras ao ver a seleção brasileira eliminada já pelas oitavas de final do Mundial contra a Romênia. Equipe sonhava com o bicampeonato no torneio

Romênia derrota o Brasil pelas oitavas do Mundial feminino de handebol
Wander Roberto/Inovafoto
Romênia derrota o Brasil pelas oitavas do Mundial feminino de handebol

O dinamarquês Morten Soubak está intimamente ligado à ascensão da seleção brasileira feminina de handebol. Por ser estrangeiro, de um país nórdico, e ser o mentor da transformação pela qual a equipe nacional passou nos últimos anos, muitos podem, à distância, pressupor um coração frio, uma cabeça calculista para o profissional.
Mas, neste domingo, com a queda do Brasil já pelas oitavas de final do Mundial, vendo o sonho do bicampeonato acabar muito cedo, Soubak também sofreu com suas atletas. Muitas delas deixaram a quadra em Kolding chorando, depois de derrota para a Romênia por 25 a 22. 
"Está doendo muito porque as expectativas dentro da equipe eram muito grandes. Sabemos que somos capazes de chegar longe porque já mostramos, sofremos, brigamos e treinamos. Fizemos todo o possível para chegar lá. Elas fizeram um grande trabalho para chegar aqui e estarem prontas e nós vamos continuar com o nosso trabalho para 2016", disse o treinador. 
Resultado de imagem para ig

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Brasileirão Série A - Confira os jogos em andamento

O time do Alto da Bica - A foto que virou saudade

O time do Alto da Bica surgiu, consultando minha memória, ali pelos anos 90 e pouco, coincidindo com o início da era Parmalat. Isso talvez explique os meninos - que acompanham os craques - tão bem vestidos. A sede fica na margem da rodovia Cianorte – São Tomé, logo após o ribeirão São Tomé, num trecho conhecido como Bica, por isso o nome: Alto da Bica.

Frequentado por cianortenses ilustres congrega em sua maioria os palmeirenses - também consultando minha memória, e o Avanti -. Nesta foto, em 98, vemos o elenco pronto para mais uma vitória; vou fazer a escalação e pedir mil perdões se errar o nome de alguém, pois embora conhecendo pela fisionomia posso me confundir na denominação. De pé, da esquerda para a direita: Miguel Deneka, Flávio Vieira, Cometa, Gaúcho, Jácomo e Zezé; agachados, na mesma ordem: Antônio Rogério, Maurício, Nilo, Deíca e Spagola...

Por Marco Antônio de Paula Franco