O time de Dunga começou o ano derrotando o carrasco francês, mas perdeu fôlego e jogou mal contra adversários mais fracos como Honduras e Costa Rica

Amistosos da Seleção Braileira em 2015
26/03/2015Brasil 3-1 FrançaSaint-Denis (França)
29/03/2015
Brasil 1-0 ChileLondres (Inglaterra)
07/06/2015Brasil 2-0 MéxicoSão Paulo (Brasil)
10/06/2015Brasil 1-0 HondurasPorto Alegre (Brasil)
05/09/2015Brasil 1-0 Costa RicaHarrison (EUA)
08/09/2015Brasil 4-1 EUAFoxboro (EUA)

O ano de 2015 foi movimentado para a seleção brasileira e começou com amistosos que exigiram muito da equipe. Um ano bem menos agitado que 2014, claro, ano em que o Brasil disputou uma Copa do Mundo para esquecer. Mas em 2015 o Brasil disputaria seu primeiro torneio oficial após a Copa. Dunga não queria brincar em serviço e cobrou muito dos jogadores. Os primeiros jogos do ano foram contra seleções fortes e o time correspondeu, animando a torcida. Dunga se manteve invicto ao longo do ano, apesar de uma certa queda de rendimeto e muitos defalques. O técnico teve ainda a chance de testar novos jogadores e trazer alguns nome de volta, só que desta vez, mirando a formação de uma equipe mais experiente para a disputa das Eliminatorias. Outro "torneio" que colocaria a seleção em teste. 

Abaixo, Chevrolet Brail Global Tour analisa o retrospecto da seleção brasileira em amistosos no ano de 2015:

BRASIL 3-1 FRANÇA - 26/03/2015

Competição:Amistoso
Local:Stade de France
ÁrbitroNicola Rizzoli (Itália)
Gols:Raphaël Varane, Oscar, Neymar, Luiz Gustavo 
Brasil:Jéfferson, Danilo, Thiago Silva, Miranda, Filipe Luis, Elias (Marcelo), Luiz Gustavo (Fernandinho), Willian (Douglas Costa), Oscar (Souza), Neymar, Roberto Firmino (Luiz Adriano)
França: Stève Mandanda, Bacary Sagna, Raphaël Varane, Mamadou Sakho, Patrice Evrà, Moussa Sissoko (Geoffrey Kondogbia), Morgan Schneiderlin, Blaise Matuidi (Olivier Giroud) - Mathieu Valbuena (Dimitri Payet), Karim Benzema, Antoine Griezmann (Nabil Fékir)
O ano da seleção começou em março, contra o carrasco francês no Stade de France, palco da final da Copa do Mundo de 1998. Naquela ocasião, o time de Zagallo, que tinha Dunga como capitão, perdeu por 3-1 e ficou com o segundo lugar do torneio. Desta vez, era hora de espantar o velho fantasma. Mesmo saindo perdendo, o time brasileiro mostro um bom futebol, jogando de forma compacta e com rapidez no contra-taque. Oscar empatou a partida após Varen abrir o placar. Um dos remanecentes da Copa de 2014, Oscar marcou seu 12º gol em 45 jogos disputados pela Seleção Brasileira.
A seleção controlou boa parte do jogo e teve contra-ataques fatais. Neymar de dentro da área e Firmino de fora exigiram boas defesas do goleiro Mandanda. Willian foi um dos destaques da partida, servindo Neymar, que virou o placar para 2-1 e, de quebra, marcou seu gol de número 42 pelo Brasil, e cruzando a bola que Luiz Gutavo cabeceou no canto do gol frances, selando a vitória braileira por 3-1. (Foto: CBF)
BRASIL 1-0 CHILE - 29/03/2015

Competição:Amistoso
Local:Emirates Stadium
Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)
Gol:Roberto Firmino
Brasil: Jéfferson, Danilo, Thiago Silva, Miranda, Marcelo (Filipe Luís), Souza (Elias), Fernandinho, Douglas Costa, (Willian), Philippe Coutinho (Robinho), Neymar, Luiz Adriano (Roberto Firmino).
Chile:Claudio Bravo, Mauricio Isla, Miiko Albornoz, Gonzalo Jara - Arturo Vidal (Eduardo Vargas), Charles Aránguiz, Gary Medel, Rodrigo Millar (Matías Fernández), Eugenio Mena (Mark González) - Pedro Pablo Hernández, Alexis Sánchez.
O atacante Roberto Firmino mostrou ter estrela nessa partida. Um jogo pegado, duro, com muitas faltas, que caminhava para o 0-0, até a entrada do jogador do Hoffenheim em campo. Foi dele o gol da vitória. A seleção vinha de vitória contra a França e Dunga aproveitou o segundo amistoso do ano para testar o time. Apenas Jefferson, Danilo, Thiago Silva, Miranda e Neymar permaneceram na escalação inicial. Na lateral-esquerda, Marcelo. No meio, Douglas Costa e Phillipe Coutinho. A surpresa foi a entrada do veterano Robinho, que entrou no lugar de Coutinho. Robinho, por sinal é um dos principais artilheiros da seleção em partidas contra o Chile: nove gols em oito jogos.

Firmino assistiu do banco de reservas ao primeiro tempo de Brasil x Chile, com poucas oportunidades de gols para os dois lados. Até que, no início da segunda etapa, Dunga o pôs em campo. O atacante sabia que não podia desperdiçar a chance de conquistar ainda mais o seu espaço na Seleção Brasileira e lutar por uma vaga na Copa América deste ano.

O resultado manteve o Brasil com 100% de aproveitamento: eram oito vitórias em oito jogos - antes do Chile, a freguesia sobre os chilenos também foi mantida: a última derrota aconteceu em 2000, nas Eliminatórias da Copa. Até então, foram 12 vitórias brasileiras e dois empates. (Foto: CBF)
BRASIL 2-0 MÉXICO - 07/06/2015

Competição:Amistoso
Local:Allianz Parque (São Paulo)
Árbitro: Julio César Quintana (Paraguai)
Gols:Philippe Coutinho, Diego Tardelli 
Brazil:Jéfferson, Danilo, (Fabinho), Miranda, David Luiz, Filipe Luís, Fernandinho, Elias, (Casemiro), Willian, (Douglas Costa), Philippe Coutinho, (Everton Ribeiro), Fred (Felipe Ânderson), Diego Tardelli (Roberto Firmino) 
México:Jesús Corona, Hugo Ayala (Carlos Salcedo), Rafa Márquez, Julio César Domínguez - George Corral (Gerardo Flores), Mario Osuna (Marco Fabián), Javier Güémez (Juan Carlos Medina), Jesús Manuel Corona (Luis Montes Jiménez), Adrián Aldrete - Eduardo Herrera, Raúl Jiménez (Matías Vuoso).

Sem Neymar em campo, que disputava pelo Barcelona a final da Liga dos Campeões, a seleção brasileira demorou a encontrar seu jogo e mostrou não ter um esquema tático que suprisse a ausência de seu principal jogador. O México pouco ameaçou, mas o Brasil, mesmo com maior posse de bola, não chegava com perigo à área mexicana. Coube a Phillipe Coutinho, em linda jogada individual, abrir o placar.  A seleção voltava a jogar no Brasil depois do fatídico 7-1 contra a Alemanha e muitos temiam uma recepção fria por parte do torcedor. Os braileiros, no entanto, apoiaram o time, mostraram paciencia e gostaram da vitória. O segundo gol foi marcado por Tiago Tardelli. Ali, Dunga começava a desenhar o time que disputaria a Copa América.

"Estava com saudade de jogar no Brasil. É bom estar perto dos torcedores, controlar o jogo e vencer ", disse o zagueiro David Luiz à época. (Foto: CBF)

BRASIL 1-0 HONDURAS - 10/06/2015

Competição:Amistoso
Local:Estádio Gigante da Beira-Rio
Árbitro:Gery Vargas (Bolívia)
Gols:Firmino
Brasil:Jéfferson, Fabinho (Marquinhos), Miranda, David Luiz (Thiago Silva), Filipe Luís, Casemiro, Fernandinho, Willian, (Douglas Costa), Philippe Coutinho (Neymar), Fred (Elias), Roberto Firmino (Robinho).
Honduras:Noel Valladares, Brayan Beckeles, Jhonny Palacios, Jhonny Leverón, Henry Figueroa, Emilio Izaguirre (Brayan García) - Luis Garrido (Alfredo Mejía), Boniek García (Mario Martínez), Brayan Acosta (Carlos Discua) - Andy Najar (Will Mejía), Anthony Lozano (Erick Andino).

Em uma noite fria e chuvosa em Porto Alegre, a seleção levou poucos torcedores ao estádio do Beira Rio. Dunga retornava à casa (no Inter o treinador começou sua carreira como jogador) e o Brasil disputava a última partida antes da convocação definitiva para a Copa América. Danilo, machucado, deu lugar à Fabinho na lateral-direita. Na zaga, o rodízio entre David Luiz e Thiago Silva deu vez ao segundo jogador. No meio, Dunga testou Casemiro. Neymar estava de volta e pouco jogou, assim como a seleção. E mais um vez, Firmino salvou o Brasil. A vitória magra refletiu o futebol pobre apresentado pelo time. Na véspera do começo da Copa América, o desempenho levantou dúvidas quanto ao que seria o Brasil na competição que seria disputada no Chile. O gol de Roberto Firmino, aos 32 minutos do primeiro tempo, deu à equipe a décima vitória em dez partidas desde o retorno de Dunga ao comando técnico. (Foto: CBF)

BRASIL 1-0 COSTA RICA - 05/09/2015

Competição:Amistoso
Local:Red Bull Arena
ÁrbitroMathieu Boudreau (Canadá)
Gols:Hulk
Brasil:Marcelo Grohe, Danilo, Miranda, David Luiz, Marcelo, Luiz Gustavo, (Rafinha Alcântara), Fernandinho (Elias), Willian (Lucas), Douglas Costa, (Neymar), Lucas Lima, (Philippe Coutinho), Hulk (Kaká)
Costa Rica:  Patrick Pemberton, Oscar Duarte, Johnny Acosta, Giancarlo González - Christian Gamboa (Dave Myrie), Celso Borges, Yeltsin Tejeda (David Guzmán), Johan Venegas (Deyver Vega), Bryan Ruiz (Daniel Colindres) - Marco Ureña (Joel Campbell), Ronald Matarrita.

No primeiro amistoso do Brasil depois do desempenho ruim na Copa América, Dunga fez mudanças significativas na equipe pensando nas Eliminatórias. Claramente optou por jogadores com mais experiência. Voltou a convocar o atacante Hulk, autor do gol da vitória, o meia Kaká, e testou um novo goleiro: Marcelo Grohe, do Grêmio. A data do jogo marcou um ano da volta de Dunga à seleção. E seria o penúltimo jogo antes da primeira partida pelas Eliminatórias. O jogo serviu para Dunga testar um esquema tático sem Neymar, que mesmo convocado, particpou apenas dos dez minutos finais do amistoso. Contra o Chile, Neymar cumpriria a suspensão imposta pela Conmebol por conta de sua expulsão no jogo contra a Colômbia pela Copa América (na partida Neymar ainda agrediu verbalmente o árbitro).  A partida foi também a estréia do meia Lucas Lima na seleção brasileira. (Foto: CBF)

BRASIL 4-1 ESTADOS UNIDOS - 08/09/2015

Competição:Amistoso
Local:Gillette tadium
ÁrbitroJoel Aguilar (El Salvador)
Gols:Hulk, Neymar (2), Rafinha Alcantara e Danny Willians 
Brasil:Marcelo Grohe, Fabinho, Miranda (Marquinhos), David Luiz, Marcelo, Luiz Gustavo, (Fernandinho), Elias, Willian (Neymar), Lucas Lima (Lucas), Douglas Costa (Rafinha Alcantara), Hulk (Roberto Firmino)
Costa Rica:  Tim Howard, Michael Orozco, Ventura Alvarado, Geoff Cameron (Jonathan Spector), Tim Ream - Michael Bradley (Aron Jóhannsson), Jermaine Jones (Mix Diskerud), DeAndre Yedlin, Alejandro Bedoya (Danny Williams) - Gyasi Zardes (Bobby Wood), Jozy Altidore (Jordan Morris).

Dunga não resistiu e colocou Neymar para jogar um tempo inteiro. E só bastaram 45 minutos para o craque do Barcelona desequilibrar. O atacante marcou duas vezes e comandou a seleção em Boston. Este foi o último jogo do Brasil antes da estreia na Copa América. A grande surpresa foi Rafinha Alcantara. Destaque do jogo, teria lugar certo no time, mas acabou se lesionando gravemente em partida do Barcelona.