Pular para o conteúdo principal

Ginásio da Kennedy é penhorado para pagar dívida do Paraná com Ricardo Pinto

O terreno em que está construído o ginásio de esportes da sede social da Kennedy foi indicado para penhora por causa da dívida que o Paraná mantém com o ex-treinador Ricardo Pinto, que comandou o clube em 2011.No dia 6 de novembro, o oficial de Justiça da 19.ª Vara de Trabalho de Curitiba cumpriu o mandado extraído dos autos do processo de Ricardo Pinto e executou o pedido de penhora junto ao presidente do clube, Luiz Carlos Casagrande, o Casinha. 

O clube recebeu um prazo para tentar embargar a ação de penhora. O documento de certidão da penhora ainda esclarece que a Justiça levou em conta somente o terreno do ginásio de esportes pois essa é a única construção averbada da sede social. Esclarece também que a a Justiça não teve como obter o total da área edificada sobre o terreno da Kennedy (salões, área administrativa, piscinas e etc) pois a matrícula respectiva é “muito antiga e não traz qualquer informação quanto à indicação física do terreno”. 

 A lei diz que a escritura de doação deverá ser gravada com as cláusulas de inalienabilidade e impenhorabilidade, o que significa que o terreno não poderia ser vendido ou penhorado. O clube informa que ainda aguarda uma resposta da administração pública. Em junho deste ano, por causa de uma dívida total de R$ 1,6 milhão com nove ex-funcionários o Paraná viu a Vila Olímpica do Boqueirão ser arrematada em leilão pela empresa Seagull Incorporações e Participações pelo valor de R$ 11,65 milhões, metade do valor do lance inicial, R$ 23, 2 milhões. 

Da dívida total de R$ 1,6 milhão, o maior valor a ser pago era justamente para Ricardo Pinto que, na época, cobrava cerca de R$ 450 mil. Em outubro, entretanto, após uma série de tentativas de embargo do leilão por parte do Paraná, a Seagull desistiu da compra da Vila Olímpica e o local voltou a ser de posse do clube.

Postagens mais visitadas deste blog

Com equipe completa, nado sincronizado iniciou treinamentos muito antes da Rio 2016

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 já é realidade e as expectativas de medalhas brasileiras são grandes. No nado sincronizado, entretanto, a esperança é de uma quebra de tabu, já que desde que foi incluído no programa olímpico, em Los Angeles 1984, a modalidade nunca viu uma brasileira no pódio. Para que o sonho se torne realidade, a equipe já treinava intensamente no Centro Aquático Maria Lenk, antes mesmo do início da Rio 2016, casa do nado, saltos ornamentais e polo aquático. 

As provas do nado sincronizado começam só no dia 14 de agosto, mas as brasileiras já estão na arena aquática do Rio (as provas de natação acontecerão em outro local) para entrar no clima olímpico e se familiarizar ainda mais com o local. "A gente está "super feliz" por ter vindo mais cedo e já ter começado a sentir o clima dos Jogos. 

Treinávamos aqui, mas agora o clima é diferente. Além de estar mais bonito, brincamos que já tem cheiro de olimpíada. Os países ainda estão começando a chegar. O ambiente …

Seleção masculina de hóquei sobre grama sofre segunda derrota

07/08/2016 22:05 A seleção brasileira masculina de hóquei sobre grama disputou o seu segundo compromisso no torneio dos Jogos Olímpicos Rio 2016 neste domingo, 8 de agosto, no Centro Olímpico de Hóquei, no Complexo de Deodoro. Ao enfrentar a forte Bélgica, a seleção brasileira foi derrotada pelo placar de 12 a 0. O Brasil passou a somar duas derrotas em duas partidas, já que perdeu na estreia para a Espanha por 5 a 0. Na próxima rodada, terça-feira, 9 de agosto, os brasileiros voltam a campo para encarar a Grã-Bretanha. Encarando um time muito competitivo, os atletas brasileiros conseguiram manter o jogo equilibrado até o fim do primeiro quarto – de um total de quatro quartos, de 15 minutos cada –, quando a Bélgica marcou seus dois primeiros gols. A partir daí, a equipe brasileira sucumbiu à superioridade belga, ameaçando o gol adversário apenas em lances esporádicos. Com o domínio absoluto da partida, a Bélgica foi ampliando até chegar ao placar final de 12 a 0. "Pela primeira vez …

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)