Pular para o conteúdo principal

Brasil está preparado para "batalha" contra Argentina, diz Lucas Lima

SÃO PAULO (Reuters) - Cotado para ganhar uma vaga no meio-campo da seleção brasileira no duelo contra a Argentina, o meia Lucas Lima, um dos destaques do Campeonato Brasileiro, afirmou que o time está preparado para uma "batalha" em Buenos Aires na quinta-feira. O Brasil tem uma vitória e uma derrota nas eliminatórias para a Copa do Mundo, enquanto os argentinos ainda não venceram na corrida rumo ao Mundial de 2018 e ainda vão entrar em campo sem alguns titulares importantes, como Messi e Aguero.

 “Sabemos que eles não estão vivendo um grande momento, mas tem todo respeito pela qualidade de cada jogador. É difícil falar em favoritismo, mas o Brasil sempre vai ser favorito pela sua grandeza e temos que demonstrar isso dentro de campo”, afirmou Lucas Lima a jornalistas em São Paulo nesta terça-feira. Na convocação dos jogadores para os dois próximos confrontos nas eliminatórias, o técnico Dunga afirmou que a partida entre os dois maiores rivais da América do Sul seria uma guerra, alimentando ainda mais o clima entre as duas seleções.

 “Tem rivalidade pela grandeza do clássico. Com certeza vai ser uma batalha, temos consciência e estamos preparados para brigar, jogar e sair com a vitória”, declarou Lucas Lima. Dunga ainda não definiu o time que vai entrar em campo com os argentinos, mas Lucas Lima disputa uma vaga no meio com Oscar, que não foi bem nos últimos jogos da seleção brasileira. “Estou vivendo momento bom no Santos e na seleção. Sempre sonhei em ser titular, trabalho para isso, mas quem decide é o Dunga e sendo ou não (titular) vou fazer o meu melhor sempre”, disse ele.

 Outra dúvida é saber quem sairá do time para a volta do atacante Neymar, que cumpriu suspensão nos dois primeiros jogos das eliminatórias. Hulk e Douglas Costa jogaram contra o Chile, enquanto Ricardo Oliveira atuou na vaga de Hulk diante da Venezuela. Há ainda uma dúvida para saber quem será o goleiro da seleção brasileira na partida em Buenos Aires. Na derrota para o Chile na estreia, o Brasil jogou com Jefferson no gol, mas o titular durante o recomeço do trabalho de Dunga na seleção perdeu a vaga para Alisson na vitória sobre a Venezuela, em Fortaleza.
Reuters Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileirão Série A - Confira os jogos de hoje e amanhã

Marcos Danilo Padilha - "Profissão - Goleiro"

Sempre publico nesse espaço matérias sobre a carreira do goleiro Danilo da Chapecoense , que considero o melhor goleiro do futebol brasileiro , formado e revelado pelo Cianorte FC time de sua cidade natal , tem como ponto alto um caráter diferenciado herdado dos pais , meus amigos Nilson e Ilaídes(foto). O  filho Danilo , também é filho de Cianorte e tem um respeito enorme do torcedor paranaense , tanto  é que enquanto atuou no Londrina E.C  recebeu o apelido de PAREDÃO  do torcedor londrinense devido as atuações brilhantes na meta do LEC .

Atuou também pelo Cianorte FC , Nacional de Rolândia , Engenheiro Beltrão e Operário Ferroviário de Ponta Grossa atual campeão Paranaense de Futebol. ( clubes do interior do Paraná)

Marcos Danilo Padilha Nascimento: 31 de julho de 1985 (29 anos), Cianorte, Paraná Altura: 1,85 m Peso: 80 kg Início de carreira: 2004 Time atualAssociação Chapecoense de Futebol (#1 / Goleiro)

Herói da Inter, Éder Paulista poderia ter sido herói no Cianorte FC

Eder Paulista , atacante com passagem pelo Cianorte FC , onde pouco fez por não ter a oportunidade merecida , oportunidade que teve na Inter de Limeira quando no dia 14 de maio , a emoção tomou conta dos mais de 8 mil presentes no Limeirão assim que o árbitro Thiago Duarte Peixoto apitou o fim da vitória da Inter de Limeira por 2 a 1 sobre o Monte Azul. 

O tão sonhado acesso à Série A2 estava consumado. Graças a alguém que por muito pouco não esteve ali. Herói do Leão com os dois gols da virada no jogo decisivo, o atacante Éder Paulista teve a participação ameaçada na competição ao sofrer uma grave lesão logo no início da campanha. 

Por tudo o que passou, era um dos mais eufóricos, a ponto de até esquecer como foram seus gols. - Só Deus sabe o que eu passei. Os médicos falavam que eu só voltaria depois de três meses. Mas eu falei que iria me recuperar rapidamente e decidir para a equipe. 

A emoção está muito grande, não sei nem dizer como foram os gols.