O Campeonato Paranaense da Segunda Divisão começa no dia 08 de março, com os jogos finais acontecendo nos dias 07 e 14 de junho.

OUÇA - A VIDA DE WILSON SILVA

POR DENTRO DA COPA

COPA

A copa

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Federação divulga tabela e regulamento da 46ª edição do torneio


COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR

O Departamento de Competições da Federação Paulista de Futebol divulgou na tarde de
 terça-feira (2 de dezembro) a tabela e regulamento da 46ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, que tem início marcado para o sábado, dia 3 de janeiro, e a decisão no dia 25 de janeiro, domingo, aniversário da cidade de São Paulo.

Atual bicampeão, o Santos estreia no sábado às 16h diante do Linense, time-sede do Grupo D. Maior vencedor da história da competição, o Corinthians integra o Grupo W e estreia no domingo, em Barueri, diante do Guaicurus do Mato Grosso do Sul. No Grupo V, em São José dos Campos, o São Paulo que conquistou o título pela última vez em 2010, enfrenta o Serrano da Paraíba também no sábado, às 19h. Já o Palmeiras, que nunca venceu a Copa São Paulo, estreia na segunda-feira, às 21h, contra a Desportiva Ferroviária do Espírito Santo, na cidade Limeira, sede do Grupo J.

Neste ano, a capital paulista receberá duas sedes. Uma na Barra Funda, no estádio do Nacional que pelo Grupo X receberá o Botafogo da Paraíba, Goiás e o Rio Claro; e outra na rua Javari, estádio do Juventus que terá o Tarumã do Amazonas, Figueirense e Santo André como adversários.

CONTEÚDO FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL

Real 0-4: Rumo à final do Mundial de Clubes!

Cruz Azul - Real Madrid
Os gols de Ramos, Benzema, Bale e Isco carimbaram a goleada contra o Cruz Azul e a 21ª vitória consecutiva, num jogo no qual Casillas voltou a defender um pénalti. 


O Real Madrid já está na final do Mundial de Clubes. Apenas um jogo separa este clube de exibir um novo troféu nas suas vitrines, e perante o jogo  realizado no Grande Estádio de Marraquexe este Real Madrid mostra ser mais que fiável na luta por qualquer objetivo.

A cidade do Marrocos junta-se a Sófia, Liverpool, Basileia e outras da Espanha que os madrilenhos conquistaram no recorde de 21 triunfos consecutivos. Foi preponderante adiantarem-se cedo no marcador, exatamente quando se cumpria o primeiro quarto de hora, diante de um Cruz Azul que entrou em campo com a clara intenção de dar a bola ao Real Madrid e esperar por uma oportunidade no contra-ataque.

O laboratório de Ancelotti foi novamente eficaz, ainda que o primeiro golo pudesse ter acontecido aos 11', se Benzema não tivesse acertado no poste num remate de zona frontal. Kroos marcou a falta, e Ramos como já fizera em Munique na final da Décima, voltou a mostrar que é um dos melhores especialistas do mundo em lances aéreos.

CONTEÚDO Real Madrid C.F.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Campeonato Paranaense da Segunda Divisão definido


Aconteceu na manhã de segunda-feira, 15, na sede da Federação Paranaense de Futebol, o arbitral da Segunda Divisão do Campeonato Paranaense de 2015. A competição terá a participação de 10 clubes: Andraus, Apucarana Sports, Batel, Cianorte, Francisco Beltrão, Paranavaí, Pato Branco, Portuguesa Londrinense, PSTC e Toledo.
 
O sistema de disputa será da seguinte maneira: na primeira fase, as equipes se enfrentam em turno único, em nove rodadas. Os oito melhores avançam à segunda fase, enquanto os dois últimos descenderão para a Terceira Divisão. 
 
A partir daí, a competição será disputada no sistema eliminatório. Nas quartas de final, os confrontos serão: 1º x 8º (Grupo A), 2º x 7º (Grupo B), 3º x 6º (Grupo C), 4º x 5º (Grupo D). Nas semifinais, os duelos serão entre os vencedores A x D (Grupo E) e vencedores B x C (Grupo F), com a decisão entre os vencedores na sequência.
 
No sistema eliminatório, o primeiro critério de classificação será a pontuação, seguido do saldo de gols. Se persistir a igualdade, a decisão será nos pênaltis. As fases finais serão disputadas em duas partidas, com o clube de melhor pontuação na somatória das fases anteriores decidindo a classificação como mandante.
 
O Campeonato Paranaense da Segunda Divisão começa no dia 08 de março, com os jogos finais acontecendo nos dias 07 e 14 de junho.
 
 

Claudio Tencati projeta temporada 2015: “Seremos mais visados”

Treinador Claudio Tencati em entrevista coletiva no CT da SM Sports
Treinador acredita que adversários irão estudar e respeitar ainda mais o Tubarão, já que é o atual campeão Paranaense e vem se destacando no cenário nacional 

     
O ano de 2014 será inesquecível para a história do Londrina Esporte Clube (LEC). O Tubarão foi campeão Paranaense depois de 22 anos, fez uma belíssima campanha na Copa do Brasil e também assegurou vaga para série-C do Campeonato Brasileiro do ano que vem. Foram tantas conquistas que, na avaliação do técnico Claudio Tencati, torna a equipe alviceleste ainda mais visada pelos seus adversário, seja nas três competições.
"Principalmente no estadual, os adversários vão estudar mais o Londrina e o respeito será maior, como já acontecia em anos anteriores, até porque, agora, somos referência, por se tratar do atual campeão Paranaense. Automaticamente teremos mais dificuldades, por isso, já estamos visando novos sistemas de jogo, alternativas dentro de campo e jogadas ensaiadas, tudo, para nos preparar da melhor maneira possível, porque seremos mais visados pelos oponentes”, disse.


Segundo Claudio Tencati, o maior desejo é que a temporada 2015 seja tão vitória como ocorreu em 2014. Para isso, o treinador garantiu que irá manter a mesma postura, convicções e ideias. “É preciso ter um time competitivo e que tenha como objetivo os resultados positivos. A maior virtude de 2014 foram os pensamentos concretos, não se desestabilizar e manter o foco, independente das adversidades”, apontou o treinador, que acredita em mais um ano de sucesso.


Além de manter os bons resultados, a expectativa é que o Londrina ganhe ainda mais projeção no cenário nacional. “Temos revelados bons jogadores e os colocando no mercado nacional, que também é uma das filosofias do clube. Tudo deve ser alinhado, a fim de que possamos conquistar bons resultados dentro de campo e aumentar a visibilidade do Londrina”, destacou o Claudio Tencati.


Em 2014, considerando apenas os compromissos oficiais, o Tubarão disputou 37 partidas, obtendo 18 vitórias, 12 empates, apenas 7 derrotas, 56 gols marcados e 35 sofridos. Mais importante que os números, de acordo com Tencati, é a sensação de dever cumprido. “Cumprimos rigorosamente com o planejamento, que era ser campeão estadual, fazer bonito na Copa do Brasil e conquistar a vaga na série-C, na qual deixamos escapar no ano passado”, apontou o treinador, que projeta 2015, esperando ser “um ano tão bom como foi 2014”, completou.

Números da temporada 2014:
Campeonato Paranaense: 17 JOGOS / 8 VITÓRIA / 5 EMPATES / 4 DERROTAS / 26 GOLS À FAVOR / 18 CONTRA
Copa do Brasil: 6 JOGOS / 2 VITÓRIAS / 2 EMPATES / 2 DERROTAS / 8 GOLS À FAVOR / 8 CONTRA
Série-D do Campeonato Brasileiro: 14 JOGOS / 8 VITORIAS / 5 EMPATES / 1 DERROTA / 22 GOLS MARCADOS / 9 CONTRA


               CONTEÚDO PUBLICADO NA HOME PAGE DO LEC

Loco Abreu pode retornar ao Botafogo para disputar a Série B

Experiente atacante uruguaio admite esquecer dívidas antigas e se coloca à disposição do Glorioso para a temporada 2015
Loco Abreu pode ser o grande nome do Botafogo em 2015. O atacante uruguaio, de 38 anos, que estava no Rosario Central até o fim deste ano, não pensa em aposentadoria. "Minha história com o clube não terminou"
O jogador admite esquecer dívidas antigas e se coloca à disposição para disputar a Série B no clube que se tornou ídolo entre 2010 e 2012.

"Temos consciência da situação difícil pela qual o clube passa atualmente. Mas isso não importa agora. O principal antes de falar, é esperar o clube. Não adianta eu falar, fazer oba-oba e eles acharem que eu não poderia ajudar", disse Loco Abreu em entrevista ao jornal Lance!.

"Dinheiro não terá problema. Não estou falando somente com sentimento, tenho que respeitar o planejamento da diretoria. Se eles acreditarem. em mim, isto não será problema. Faremos o possível dentro das possibilidades atuais do clube", afirmou ele.

"Se a diretoria e o treinador entenderem que posso ser importante para ajudar na reconstrução do clube, de um time forte, estou disposto. Sempre digo: minha história com o clube não terminou. Se aparecer essa chance, vou analisar com bons olhos", admitiu o uruguaio.

Já tendo disputado a segunda divisão espanhola pelo Real Sociedad, em 2009, Loco Abreu revela que o momeno é de absorver o rebaixamento e se unir em um objetivo comum, pensando apenas no bem do clube.

"Agora que o Botafogo foi rebaixado, você tem que olhar para frente e dizer: ‘Aconteceu, vamos dar as mãos". Nessa hora não tem que ter briga, política, nada. Todos têm que pensar no clube, no time", analisou ele.

"Muito se fala sobre idade, mas, quando se está com a bola, ela não olha para isto. Joguei um ano e meio no Rosario e fui titular em 90% dos jogos. Jogar na Argentina é f... Não digo se é melhor ou pior do que em qualquer outro lugar, mas é muito pegada. Não é fácil e fui muito bem. As pessoas devem se ater aos números e eles estão aí para quem quiser ver", concluiu o atacante.

Conteúdo Goal

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

UOL : Gil de Ferran conta como uma 'videocassetada' o afastou da Fórmula 1



































No meu conceito Gil de Ferran foi o melhor piloto " brasileiro" que apareceu após a era Senna aqui um artigo publicado pelo site UOL que conta uma história inusitada na vida de Gil:


O ano era 1993, e o jovem Gil de Ferran trazia no bolso o título da Fórmula 3 em busca de seu sonho: entrar na Fórmula 1, seguindo os passos que o ídolo de infância Emerson Fittipaldi. Ele partiu então para um teste com a equipe Footwork Arrows. Após algumas poucas voltas acelerando, ele só não contava que caminhando pelo paddock uma simples porta e uma cena digna de videocassetada mudariam seu futuro.

Hoje Gil de Ferran é um consultor de renome e não tem do que reclamar do que ocorreu depois disso, já que faturou dois títulos na Fórmula Indy e uma vitória nas 500 Milhas de Indianápolis. Mas o incidente inusitado poderia ter transformado tudo. E se ele fosse contratado para a Fórmula 1 e nunca tivesse entrado na Indy? A resposta ele nunca saberá. Mas vamos ao causo, ocorrido em setembro de 1993, no circuito de Estoril, em Portugal. Nas lembranças do próprio piloto, "eu fui convidado para testar com a Footwork, que era uma Force India da época.

O primeiro problema é que eu não entrava direito no carro, na época não havia regulagem de cockpit e eu tenho uma estatura de média para alta para um piloto de corrida (1,77 m). Me encaixei lá e estava superdesconfortável. Dei algumas voltas e deu muita cãibra: nas costas, perna, ombro... Então saí do carro para me esticar um pouco." "Eu saí caminhando e havia dois caminhões [motorhomes] na parte de trás dos boxes. Um deles tinha uma espécie de armário, que foi deixado com a porta aberta. E dava bem na altura da cabeça. Eu estava olhando para o chão, pensando no carro, na pilotagem... E enfiei a cabeça na porta!", relata Gil de Ferran. A pancada não foi leve.

O brasileiro "rachou a cabeça", foi parar no hospital, levou pontos... Era o fim de um amargo teste com a Footwork, em que ele já não tinha conseguido rodar bem nas poucas voltas dadas. Hoje, o piloto não sabe dizer se só isso foi capaz de fazer a cabeça da escuderia. Afinal, sua qualidade como piloto e questões financeiras também pesam fortemente numa decisão desse tipo. Fato é que ele nunca pilotou pelo time. De Ferran também realizou um teste em 1992 com a Williams, que foi "superbem", mas seu rival de Fórmula 3 David Coulthard – hoje um grande amigo – ficou com a vaga. "São coisas que acontecem.


Depois, no meio de 1994, tive uma oferta para vir aos Estados Unidos muito boa. Por três anos, com grande salário... Achei que era a oportunidade para mim. Depois tive outras chances, mas aí já era questão de escolher as melhores opções ou foram momentos em que o 'timing' não batia". Das 'brigas de foice' aos negócios Gil de Ferran foi privilegiado ao correr com alguns dos melhores pilotos que despontaram nas principais categorias do automobilismo. Para perseguir o sonho, ele teve de largar tudo no Brasil, trancar faculdade e se mudar para a Inglaterra. "Foi uma fase um pouco difícil, aprendi muito sobre mim mesmo. E sabe, passei dois anos batendo cabeça na Inglaterra, até conhecer o Jackie Stewart e ele me convidar para um teste. Fui bem e ele me contratou imediatamente. Foi o início do meu sucesso lá", relembra o ex-piloto, hoje com 46 anos, agradecendo ao lendário ex-piloto. Sua época de Fórmula 3 foi memorável, dentro e fora da pista.

"Foi uma época fantástica. Briga de foice. Mas no bom sentido, tanto que o Coulthard é um dos meus melhores amigos. Ele vem em casa, passamos férias juntos... Eu me sinto privilegiado de ter corrido sempre com grandes pilotos, principalmente no início da carreira. Ter me equiparado com esses grandes pilotos me fez um piloto melhor. E ficaram tantas histórias... Naquela época ninguém era casado, não tinha dinheiro nenhum. Nós éramos jovens como outros quaisquer e, apesar da rivalidade, éramos muito próximos." Uma diferença de De Ferran para muitos pilotos foi seu interesse pelos bastidores das corridas.


Ele sempre soube aprender cada detalhe do que vivia durante a temporada, e passou a desenvolver conhecimentos que iam além da pilotagem – um quesito que ele não tem nada o que provar, com dois títulos da Fórmula Indy. Tudo isso o levou a virar um consultor. "Eu tive a sorte de estar em muitas faces do esporte, e me interesso por muitos aspectos tanto dos negócios quanto do lado mais comercial, de promoção, fui comentarista, chefe de equipe... Então eu consigo algumas vezes causar um impacto positivo em vários setores de atividades. Hoje minha especialidade é no desenvolvimento técnico de carros e motores. É algo natural, fui estudante de engenharia e quando pilotava, trabalhava junto com as empresas para desenvolver motor, chassi, pneu", diz ele. Mas e pilotar, faz falta? "Sim, sinto falta de guiar. Mas cada coisa tem sua hora. Foi uma fase muito legal da minha vida. Tive um reconhecimento grande, e não só do público brasileiro, mas internacionalmente também.

Mas não fico medindo para ver se fui mais famoso que um ou que outro. Me sinto prestigiado", conclui o brasileiro, que com seu bi na Indy fica abaixo apenas de Fittipaldi, Senna e Piquet no sucesso com monopostos.



CONTEÚDO UOL

domingo, 14 de dezembro de 2014

Crônica - O Futebol tem dessas coisas!




Os mais entendidos em fanatismo futebolístico asseveram que o sujeito , muda de mulher e até de religião – mas de clube não muda nunca. Eu , por exemplo , passei a torcer pelo Bangu /RJ após ver meu Grêmio FBPA clube do meu coração ser rebaixado para segundona do brasileirão de 1992 - O tricolor gaúcho fez um papelão em 1991. Com 10 derrotas, 6 empates e apenas 3 vitórias, o Grêmio ficou em 19º lugar: e caiu para a 2ª Divisão , o fato me revoltou tanto que passei a execrar o tricolor gaúcho para os amigos de colégio.

Por Magno Moreira - 14/12/2014

sábado, 13 de dezembro de 2014

Bombou no meu facebook!




Bianca goleira do time bi campeão paranaense de futsal , ela é bi campeã paranaense de futsal pelo C.A.F.E Cianorte Futsal e encontrou uma maneira criativa de agradecer!

Destaque, goleiro Danilo pode trocar Chapecoense por Fluminense

Caso ele seja contratado, Felipe Garcia, que vem sendo reserva de Diego Cavalieri, deve ser devolvido ao Santos

As dificuldades para a renovação do goleiro Diego Cavalieri podem levar o Fluminense a investir na contratação de Danilo, que se destacou no Campeonato Brasileiro com a camisa da Chapecoense. No entanto, o jogador interessa a outros clubes, e a diretoria tricolor deve ter alguma dificuldade para fechar o negócio. Se Danilo for contratado, Felipe Garcia - que vem sendo reserva de Cavalieri -, deve ser devolvido ao Santos.
 
 
Quanto ao goleiro titular, a situação segue indefinida. O clube pretende contar com Cavalieri, mas tudo vai depender dos recursos disponíveis para a renovação dos contratos.

Mercado da bola: veja as transferências que movimentam o futebol brasileiro


Em entrevista ao Sportv, o técnico Cristovão Borges confirmou que o Fluminense vai encontrar dificuldades para montar o elenco para a próxima temporada. O treinador revelou que a Unimed, parceira comercial do clube, pretende seguir honrando apenas os contratos dos jogadores que estão em vigor, não fazendo novos investimentos para 2015.
A previsão do comandante é de que o clube vai ter que mudar o comportamento para se adaptar a um orçamento bem menor.

"A nova realidade financeira vai exigir do clube uma agilidade muito grande para a temporada que vem, porque certamente o Fluminense encontrará muitas dificuldades para se adaptar à realidade que estava acostumado, depois de anos de parceria com grandes investimentos", avaliou Cristovão.
O técnico também declarou que está negociando sua permanência no Tricolor das Laranjeiras, e que falta pouco para o acordo ser fechado, o que pode acontecer ainda nesta semana.



Quanto ao elenco, o zagueiro Gum, os volantes Diguinho e Valencia, e o atacante Rafael Sobis, cujos contratos se encerram no próximo dia 31, seguem aguardando uma definição da diretoria para saber se vão continuar no Fluminense em 2015.

                             CONTEÚDO IG